Quando foi a última vez que a sua empresa passou por uma grande mudança? A maioria das organizações passou por este momento durante a pandemia. E, acredite: a gestão de mudanças foi fundamental para que elas pudessem manter o ritmo.

Afinal, encarar transformações — principalmente aquelas sobre as quais não temos controle — é inevitável. Mas, estar preparado para esta mudança pode ser o segredo para que os negócios não sejam afetados neste processo.

Quer aprender como se planejar para minimizar os impactos negativos em situações de transição? Então, continue a leitura! No blog de hoje, vamos falar sobre a gestão de mudanças organizacionais.

Como o RH deve agir na gestão de mudanças?

A gestão de mudanças envolve práticas que ajudam a guiar o processo de transição. Assim, o papel de RH é planejar estratégias para evitar que os colaboradores ou a empresa sejam afetados de maneira negativa pela mudança. 

De maneira geral, é importante que esta prática faça parte da cultura da empresa. Entretanto, em momentos de mudanças repentinas, como a pandemia, ela se torna ainda mais necessária.

Neste cenário, é fundamental que os gestores de RH mantenham um diálogo transparente com as equipes. Sempre deixando claro os porquês da mudança e como acontecerá todo o processo. O que vai ajudar a manter a estabilidade da empresa durante a transição.

Entenda as etapas dessa gestão

Geralmente, a gestão de mudanças organizacionais acontece em seis etapas:

1.Percepção da necessidade de mudança;

2. Análise da situação atual;

3. Planejamento do processo;

4. Engajamento das equipes;

5. Treinamentos;

6. Monitoramento dos resultados e ajustes.

Dessa forma, é possível identificar exatamente quais serão os pontos de mudança, os objetivos e qual o melhor caminho para chegar lá. Além de planejar como engajar a equipe para esta transformação e, principalmente, como medir os impactos — e resultados — deste processo.

Qual a importância da gestão de mudança?

É fato: o mundo muda a cada dia. E a nova realidade trazida pela Covid-19 acelerou e intensificou ainda mais este processo em todos os setores. 

Deste modo, o segredo para o sucesso em um cenário de mudanças inevitáveis é garantir o controle sobre a transição por meio de uma boa gestão de mudanças

Afinal, o planejamento permite não apenas se adaptar à nova realidade, mas garante grandes vantagens durante o processo. Como:

  • Redução de riscos;
  • Melhoria da comunicação interna;
  • Melhora nos índices de produtividade;
  • Aumento da lucratividade;
  • Possibilidade de inovação;
  • Construção de um ambiente de trabalho mais saudável.

Assim, todos estes fatores vão estabilizar a empresa e minimizar os impactos negativos. Isto além de se tornarem uma importante vantagem competitiva no mercado após este primeiro momento.

Dicas para gerenciar uma equipe 100% remota

Uma das principais transformações que a pandemia proporcionou foi a flexibilidade dos formatos de trabalho. De modelos híbridos a equipes 100% remotas: este é um padrão que veio para ficar.

Dessa forma, planejar uma gestão de mudanças organizacionais para se adaptar a este cenário já não é mais uma opção. Mas, uma necessidade para garantir que as atividades sejam executadas com qualidade e eficiência mesmo a distância.

Por isso, listamos a seguir 5 dicas que podem ajudar a sua empresa a gerenciar uma equipe remota. Confira!

1. Comunicação entre equipes

A comunicação é o fio que liga todos os processos — principalmente no modelo de trabalho remoto. No entanto, este pode ser um desafio. Já que a troca de mensagens diária por meio de ferramentas tende a ser menos dinâmica do que aconteceria presencialmente.

Dessa forma, vale dedicar uma atenção extra para detalhar mais as instruções e incentivar questionamentos. Assim, é possível garantir o entendimento do objetivo pretendido e também manter o dinamismo entre as equipes.

2. Cultura de feedback

Apesar de trazer inúmeras vantagens, o modelo de trabalho remoto também pode impor alguns desafios. Um deles é a dificuldade em apresentar críticas ou feedbacks. Isto porque esta situação pode se tornar ainda mais delicada sem o amparo do convívio diário.

Por isso, o ideal é que esta cultura seja trabalhada desde o início da gestão de mudanças por meio de reuniões periódicas. Assim, ela se tornará um hábito natural entre os colaboradores. O que facilita o uso dessas informações para otimizar processos e garantir melhores resultados.

3. Treinamentos

Outro ponto essencial para o sucesso do home office é garantir a gestão de tempo para capacitar os profissionais para este formato ainda no início do processo de transição.

Isto será fundamental para assegurar que os colaboradores consigam utilizar todas as ferramentas necessárias para desempenhar o trabalho à distância. Além de ser uma oportunidade para alinhar metas e responsabilidades projetadas para este formato. 

4. Socialização remota

Apesar da equipe estar distante no modelo remoto, é importante que exista uma relação amigável entre os profissionais. Tanto para manter o ambiente de trabalho mais saudável, quanto para construir o sentimento de pertencimento e engajamento do time.

Para isso, uma boa alternativa é preparar happy hours virtuais entre os setores. Embora possa parecer estranho socializar por meio de telas, esta pode ser uma ótima oportunidade para estreitar vínculos entre os colaboradores.

5. Tecnologia

Por fim, investir em tecnologias que possam facilitar a dinâmica de grupo on-line é indispensável para gerenciar equipes remotas com praticidade, rapidez e, acima de tudo, eficiência.

Afinal, com as ferramentas certas é possível fazer chamadas de áudio e vídeo individuais e coletivas com qualidade. Além de facilitar a elaboração de documentos compartilhados e o registro de todo o trabalho realizado.

Gostou? Compartilhe!

Por: iFood Benefícios

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.