O modelo híbrido de trabalho tornou-se mais comentado a partir de 2020, quando entramos em pandemia. Mas, por ser um formato relativamente novo, ainda há muitas dúvidas sobre o tema.

Quais as vantagens? Está de acordo com a legislação? O que as empresas e funcionários pensam a respeito do tema? Veja essas questões a seguir. Boa leitura!

Primeiramente: o que é modelo híbrido? 

O modelo híbrido é caracterizado por uma jornada de trabalho na qual parte é realizada dentro empresa e a outra em casa, no modelo home office. 

Ano passado, inicialmente, as empresas consideradas não-essenciais adotaram o home office e, com o retorno das atividades, muitas optaram pelo modelo híbrido. Alguns fatores contribuíram para isso, como as dificuldades para trabalhar em casa e o estado mental dos colaboradores no isolamento.

Além disso, alguns tipos de área e/ou setor podem ser mais ou menos fáceis de atuar no home office e no modelo híbrido do que outras. Por exemplo, na tecnologia é mais fácil trabalhar de forma remota, do que os setores que exigem um contato mais próximo e presencial com os clientes.

Assim, como forma de minimizar tanto as chances de contágio e proporcionar melhores condições aos funcionários, muitas organizações adotaram o modelo híbrido. Em julho, o Ipea – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, registrou uma queda de 12,7% para 11,7% no número de profissionais trabalhando em casa.

Vantagens do modelo de trabalho híbrido

O modelo híbrido de trabalho vem ganhando espaço na vida e nas preferências das empresas e até mesmo dos colaboradores.

A empresa imobiliária WeWork, em parceria com a Workplace Intelligence, conduziu uma pesquisa com mais de 2.000 funcionários, sendo metade executivos e a outra formada por não executivos. Examinando os benefícios, desvantagens e requisitos do modelo híbrido, descobriu que 27% dos colaboradores mais satisfeitos e envolvidos querem passar muito menos tempo em casa.

Listamos aqui algumas vantagens do modelo híbrido de trabalho.

1. Menos atrasos, menos estresse

Trabalhar em casa economiza muito mais tempo, uma vez que não existe o deslocamento  e os possíveis imprevistos até a empresa. Dessa forma, os imprevistos do trajeto, como engarrafamentos,  também são reduzidos.

E tudo isso tem impacto direto na produtividade. Um levantamento realizado pelo Instituto DataSenado, entre 11 e 18 de setembro de 2020, com 5 mil pessoas, apontou que 41% dos entrevistados sentem-se mais produtivos em casa.

2. Colaboradores com mais autonomia sente-se mais motivados

O home office e o modelo de trabalho híbrido ajudam a desenvolver a autonomia e motivação dos funcionários, fortalecendo o conceito de descentralização. 

Um estudo da ADP Research Institute, que ouviu 20 mil pessoas em 19 países, mostrou que 29% dos colaboradores que atuam remotamente se dizem mais engajados. 

Isso tudo ajuda no desenvolvimento da cultura colaborativa e no trabalho em equipe, o que otimiza a vazão dos processos dos fluxos de trabalho. 

3. Otimização de atividades

O modelo híbrido oferece possibilidades de aumento da produtividade, desde que a empresa planeje todo processo de forma consciente, principalmente a comunicação interna.

Afinal, este é um ponto que sofre bastante impacto do modelo de trabalho adotado. Um estudo publicado pela  a Aberje – Associação Brasileira  de Comunicação Empresarial, com 86 empresas, apontou que a comunicação interna foi a mais afetada pela crise do Covid-19. Mais funcionários em casa, maior dificuldade na comunicação.

Manter uma comunicação interna eficaz pode parecer desafiador inicialmente. Mas, com um bom plano estabelecido, as chances de sucesso no modelo são enormes.

4. Mais dinheiro no caixa das empresas

Com poucos funcionários indo à empresa diariamente, despesas como energia, internet, auxílio alimentação, vale-transporte, são reduzidas. O dinheiro em caixa aumenta e pode ser aplicado em várias outras coisas, inclusive em cursos de capacitação para os colaboradores.

Só no serviço público, segundo o Ministério da Economia, o home office rendeu uma economia de mais 1 bilhão de reais ao governo federal.

 5. Mais tempo disponível, maior qualidade de vida

Quanto mais tempo sobra para o colaborador, mais qualidade de vida ele ganha. Isso faz com que sinta-se valorizado pela empresa, o que influi diretamente na retenção de talentos.

Em um levantamento realizado pela empresa de consultoria Robert Half, sobre os benefícios do trabalho home office, a qualidade de vida melhorou para 48% dos profissionais e se manteve igual para 26%. 

Assim, o modelo híbrido se apresenta como ponto de equilíbrio: ao passo que tem-se alguns dias em casa, que favorecem a qualidade de vida, tem-se outros no trabalho, o que reforça as relações interpessoais.

CLT e o modelo híbrido

Não existe uma legislação específica sobre a jornada de trabalho híbrida. Mas, isso não significa que os direitos trabalhistas neste modelo não precisam ser respeitados. Porém, é necessário consultar, além das próprias diretrizes da empresa, o que o  Acordo Coletivo de Trabalho propõe em relação ao home office. 

No geral, as empresas precisam se responsabilizar por toda montagem do fluxo de comunicação, com a adoção de plataformas e aplicativos que facilitem a documentação e o acompanhamento dos processos.

5 Estatísticas que você deve conhecer 

Conheça aqui 5 estatísticas sobre a adoção do modelo híbrido de trabalho pelas empresas de todo mundo.

1. Home Office: O que pensam as empresas? 

De acordo com as pesquisas da empresa de consultoria Gartner, 82% das empresas brasileiras pretendem continuar com o modelo home-office, que pode também ter desdobramentos para a jornada híbrida de trabalho.

Algumas, inclusive, estão consultando os seus colaboradores sobre o tipo de modelo que melhor se encaixa para eles e para a empresa também. O Twitter, por exemplo, avisou que seus funcionários poderão escolher qual modelo de trabalho preferem depois da pandemia. 

2. Home Office: O que pensam os colaboradores? 

Em paralelo, segundo outra pesquisa feita pela Robert Half, empresa global de consultoria de recursos humanos,  86% dos profissionais gostariam de seguir atuando em casa.

A startup Open Mind realizou um levantamento com alguns executivos, que mostrou que 85% dos entrevistados pretendem implantar o modelo híbrido em suas empresas no ano de 2021.

3. Sobre o controle de produtividade no modelo híbrido

Segundo o mesmo levantamento da Open Mind, 50% dos líderes entrevistados disseram que não tiveram a produtividade impactada com o isolamento. 35% afirmaram que sentiram uma melhora no desempenho da empresa.

Uma boa ideia para o controle de atividades é o uso de checklists. Assim, é possível verificar claramente o andamento de processos e, caso apareça um gargalo, que ele seja resolvido sem tantas amarras.

4. Sobre a Cultura Organizacional 

Esse é um dos pontos que passou pela cabeça das  mais de 30% lideranças entrevistados.

Sérgio Rial, presidente do Banco Santander, em entrevista ao portal Terra, defendeu o modelo híbrido e destacou que os colaboradores precisam “estar no escritório pelo menos uma vez por semana, porque senão, você terceirizou a sua cultura. E nós não queremos terceirizar nossa cultura, queremos que a pessoa permaneça conectada”.

5. Sobre as oportunidades de trabalho 

A Revelo, empresa que conecta pessoas a vagas abertas de outras organizações, fez uma pesquisa com seus colaboradores sobre as preferências. Resultado: metade deles preferem o modelo remoto e, a outra, o modelo híbrido.

Entretanto, isso ainda não se refletiu muito nas vagas postadas na própria plataforma. Um outro levantamento mostrou que, no primeiro trimestre de 2021, as vagas para a jornada híbrida eram de 0,60% e as para o modelo remoto, 93, 49%.

No mesmo período do ano passado, as oportunidades no modelo híbrido eram maiores, cerca de 11,8%. Já o modelo home office, aparecia em 43,31% das vagas. No modelo presencial tradicional, as vagas somavam 33,47%.

Como implementar o modelo híbrido na prática? 

Falamos dos vários benefícios da aplicação do modelo híbrido, tanto para os colaboradores quanto para a empresa. É válido ressaltar também que os impactos positivos da mudança se estendem não somente aos funcionários da empresa, como também aos seus familiares.

Assim, os primeiros passos para adoção do desta modalidade no trabalho são:

  1. Definição do modelo comunicação, com o desenvolvimento do planejamento e das ferramentas a serem utilizadas;
  2. Delimitação clara de como todos os processos acontecerão nas condições da jornada híbrida;
  3. Orientações claras quanto à proteção de dados no home office e também sobre a LGPD, Lei Geral de Proteção de Dados;
  4. Direcionamentos quanto à saúde ocupacional e ergonomia, já que em casa nem sempre é possível ter as mesmas condições estruturais, oferecidas pelas empresas;
  5. Acompanhamento periódico da produtividade e da saúde mental e ocupacional dos trabalhadores.

De acordo com tudo que vimos até aqui sobre o modelo híbrido, percebemos que, para que esse tipo de jornada tenha sucesso, é necessário um trabalho a 4 mãos. Assim, empresas e colaboradores só têm a ganhar.

Você já conhece o Ifood Benefícios? Ele pode ser aplicado nas organizações de modo a complementar as ações já desenvolvidas, tanto em empresas que adotaram os modelos híbrido ou home office, como também as que seguem no modelo presencial.

O Ifood Benefícios é um vale-refeição e alimentação do Ifood para empresas. Ele permite que os colaboradores recebam os valores de benefícios relacionados à alimentação,  para usar tanto no delivery do iFood quanto em mais de 4 milhões de restaurantes e mercados físicos com o cartão físico Elo. Clique aqui para saber mais!

Gostou? Compartilhe!

Por: iFood Benefícios

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.