As mudanças na relação de trabalho e a adoção do modelo home office trouxe inúmeros benefícios para empresas e colaboradores. No entanto, estes benefícios têm um custo — e a zoom fatigue é um dos principais.

De maneira geral, o termo está relacionado à realização excessiva de reuniões em vídeo. O assunto chegou a ser pauta de um estudo realizado pelo professor Jeremy Bailenson, fundador do Laboratório de Interação Humana Virtual de Stanford (VHIL).

Neste cenário, o pesquisador se dedicou a entender a origem da zoom fatigue. E, principalmente, as consequências psicológicas de se passar tantas horas por dia em plataformas de videoconferência. 

Resumidamente, Bailenson concluiu que a exaustão causada por estas situações tem origem em 4 principais fatores:

  • A intensidade da quantidade excessivas de contato visual de perto;
  • O cansaço causado por ver a si mesmo constantemente em vídeo;
  • A redução da mobilidade usual em videoconferências;
  • O aumento da carga cognitiva nas reuniões on-line.

Quer saber mais sobre o assunto e aprender como evitar que a zoom fatigue atinja os seus colaboradores e a produtividade da sua equipe? Então, continue a leitura!

Entenda o que é a Zoom fatigue

O termo zoom fatigue — ou fadiga do zoom — faz referência a um aplicativo de videoconferência muito conhecido pelos profissionais que adotaram o modelo de home office: o Zoom. 

De maneira geral, ele expressa a sensação de cansaço mental extremo de quem precisa se expor a inúmeras sessões de vídeo chamadas diante da tela em um único dia. 

Isto porque, apesar de, à primeira vista, as reuniões remotas parecerem garantir mais conforto para os envolvidos, a exposição excessiva a este recurso pode gerar uma fadiga mental e afetar a produtividade dos encontros.

Zoom Fatigue X Síndrome de Burnout

Em um primeiro momento, pode parecer que a zoom fatigue e a Síndrome de Burnout têm conceitos muito semelhantes. Mas, apesar de parecidos, os termos têm significados, origens e tratamentos diferentes.

Como vimos, a zoom fatigue é um estado de exaustão pela exposição virtual prolongada em videoconferências. Já a Síndrome de Burnout é um transtorno causado pelo excesso de trabalho associado a sentimentos negativos. Como frustração, falta de retorno ou um ambiente de trabalho que não seja saudável.

Ainda assim, tanto a zoom fatigue quanto a Síndrome de Burnout são transtornos cada vez mais presentes na vida de profissionais que precisam lidar com o modelo híbrido de trabalho. E que podem causar impactos negativos na rotina organizacional.

Dicas para evitar a fadiga no home office

A cada dia fica mais claro que algumas mudanças trazidas pela Covid-19 talvez se tornem parte da nossa rotina. E, uma das principais, é o sistema de trabalho remoto.

Dessa forma, mais do que nunca, é fundamental planejar ações de endomarketing focadas em evitar a fadiga no ambiente de home office. O que pode gerar um impacto positivo não só para a saúde mental dos colaboradores. Mas, também, para a empresa que poderá contar com funcionários mais aptos e motivados a desempenhar suas funções.

 Por isso, listamos aqui 3 dicas essenciais para garantir um ambiente de trabalho remoto mais saudável e evitar transtornos como a zoom fatigue

Evite fazer outras tarefas

Desempenhar outras tarefas durante uma videoconferência muito longa pode parecer uma boa maneira de otimizar a gestão de tempo. Mas, acredite: esta ação pode surtir um efeito totalmente contrário ao esperado.

Afinal, quando tentamos desempenhar várias atividades ao mesmo tempo, reduzimos nosso desempenho em todas elas. Isto porque precisamos ativar e desativar diferentes áreas do nosso cérebro para realizar diferentes atividades. E alternar entre estas tarefas pode chegar a custar até 40% da nossa produtividade.

Neste cenário, é importante incentivar os colaboradores a minimizar outras guias ou programas de trabalho durante as reuniões on-line. Dessa forma, é possível exigir menos esforço do cérebro e preservar o potencial produtivo.

Faça intervalos entre reuniões

Como vimos, a exposição excessiva durante as chamadas de vídeo é justamente a razão da zoom fatigue. Por isso, fazer intervalos entre as reuniões já não é mais uma questão de conforto — mas, de saúde.

Assim, nos dias em que for realmente necessário participar de várias reuniões, garanta que haja um intervalo mínimo de 30 minutos entre elas. Neste espaço de tempo, planeje lembretes para que os colaboradores se levantem da cadeira por alguns instantes.

Além disso, caso as videoconferências costumem ser muito longas, é interessante oferecer a liberdade para que os profissionais façam pequenas pausas de vídeo durante a chamada. Ou seja, que desliguem as suas câmeras e desviem o olhar do computador por alguns instantes para preservar o foco e a saúde mental.

Vale lembrar que esta não é uma abertura para iniciar ou finalizar outras atividades. O que ainda contaria como uma sessão multitarefas, já que a atenção do colaborador ainda estará na reunião. Então, este é apenas um momento para descansar os olhos da exposição excessiva.

Torne eventos sociais algo opcional

A perda do contato interpessoal foi, sem dúvida, um dos grandes pontos negativos do modelo remoto de trabalho. Afinal, o contato e o senso de comunidade são necessidades humanas — além de grandes responsáveis pelo sucesso do clima organizacional de uma empresa.

Neste cenário, os happy hours digitais representam uma ótima oportunidade para integração da equipe mesmo a distância. Mas, é preciso entender que um dia preenchido por videoconferências consecutivas pode ser extremamente desgastante para pessoas introvertidas.

Por isso, é interessante que estes eventos sociais da organização sejam voluntários. Ou seja, é fundamental deixar claro que as pessoas são bem-vindas; mas, que ninguém é obrigado a participar destes encontros.

Por fim, outra maneira eficiente para garantir que os seus colaboradores se sintam mais motivados e engajados com o trabalho é oferecer benefícios corporativos. Que também são uma maneira de demonstrar reconhecimento e valorização aos profissionais que te ajudam a crescer.

Assim, se você quer transformar o ambiente de trabalho da sua empresa e garantir profissionais mais felizes e saudáveis na sua equipe, clique aqui para conhecer o iFood Benefícios, o vale alimentação e vale refeição do iFood!

Gostou? Compartilhe!

Por: iFood Benefícios

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.