Um grande incentivo para os colaboradores é o fornecimento de vale-alimentação ou refeição, visto que eles ajudam diretamente na economia do salário ao final do mês porque atuam como um oferecimento de benefícios. 

Dessa forma, é necessário que as empresas entendam que candidatos às vagas de emprego costumam enxergar as políticas de benefícios como ótimos diferenciais, uma vez que esse tipo de iniciativa por parte das empresas demonstra maior preocupação com o bem-estar dos colaboradores, além de, claro, possibilitar uma maior economia no bolso dos funcionários — e quem não quer isso? 

O vale-alimentação ou refeição são exemplos disso. Eles facilitam bastante a rotina diária de quem trabalha fora, principalmente longe de casa, possibilitando que o funcionário possa almoçar com tranquilidade e poupar na hora de fazer suas compras de mercado.

Por isso, manter essas políticas de forma a atrair os melhores talentos para as organizações é um dos grandes desafios encontrados pelas equipes de recursos humanos e, embora não seja obrigatório, muitas empresas adotam o vale-refeição ou alimentação.

Se você tem dúvidas sobre a diferença entre vale-alimentação ou refeição, não sabe como decidir entre as duas opções e quer saber qual é a melhor escolha para sua empresa, esse texto é para você.

Vale alimentação ou refeição: qual a diferença?

A princípio, é importante saber a diferença entre vale-alimentação ou refeição, que se assemelham, mas não são idênticos. 

O vale-refeição é normalmente usado durante o período em que o funcionário está trabalhando, com a finalidade de prover a alimentação nos estabelecimentos que oferecem almoços e lanches, como restaurantes, panificadoras e lanchonetes.

Assim, entende-se que o vale-refeição não pode ser utilizado para compras em supermercados, por exemplo, só sendo aceito para custear refeições que já estejam prontas. 

Já o vale-alimentação serve para as compras em redes de supermercados, a fim de fornecer os mantimentos da casa, como ingredientes e insumos. 

Dessa forma, o vale-alimentação representa uma opção mais flexível, completa e, de certa forma, econômica para os funcionários, que tendem a utilizá-lo mais em comparação ao vale-refeição. 

Por outro lado, o vale-refeição atua como uma opção mais limitada, ajudando apenas com a alimentação diária nas imediações do local de trabalho.

Ou seja, o vale-refeição facilita o acesso à alimentação pelo colaborador nas proximidades do trabalho, enquanto o vale-alimentação leva um benefício para toda a família. 

Como escolher entre vale-alimentação ou refeição?

Para escolher entre o vale-alimentação ou refeição, é importante considerar as necessidades dos colaboradores.

Agora você já sabe as principais diferenças entre vale-alimentação e vale-refeição. Mas, afinal, qual é a melhor opção para a sua empresa?

Esta é uma pergunta bastante comum e gera dúvidas na hora da escolha entre vale-alimentação ou refeição. Conforme já adiantamos, não é obrigatório oferecê-los, porém, essa é uma ferramenta muito poderosa para retenção de talentos.

E a resposta para essa pergunta pode ser muito mais simples do que parece: na hora de decidir entre oferecer vale-alimentação ou refeição, deixe a escolha por conta dos colaboradores. 

Cada um tem suas necessidades e, dessa forma, todos podem optar pela modalidade que melhor as atenda. 

Normalmente é o que as companhias fazem: deixam em aberto para que seus funcionários se sintam à vontade em suas escolhas, o que revela ainda mais empatia por parte dos gestores.

Se, porventura, não for possível oferecer as duas formas de benefício, o ideal é fazer uma pesquisa de opinião entre os funcionários para entender qual é a preferência da maioria.

Dessa forma, você consegue tomar uma decisão assertiva e vantajosa para os seus funcionários, possibilitando que eles tenham acesso ao benefício que mais se adequa a sua necessidade. 

Assim, você traz um benefício atrativo para o seu colaborador, que reverbera em um maior bem-estar no ambiente de trabalho, e ele te retribui com produtividade e vestindo a camisa da empresa. 

Além disso, o RH da empresa também pode optar por oferecer as 2 modalidades do benefício. 

Para te ajudar com isso e facilitar a implementação desse processo na sua empresa, o iFood Benefícios oferece essa possibilidade, sempre pensando em dar aos colaboradores a melhor experiência na hora de se alimentar e espalhar sorrisos por toda a organização.

Vantagens de oferecer vale-alimentação ou refeição

Além de saber a diferença entre vale-alimentação ou refeição, é importante conhecer quais as vantagens desses benefícios. 

Já adiantamos que as vantagens de ambos são infinitas, tanto para as empresas quanto para os colaboradores. No entanto, alguns benefícios se destacam e podem ser fatores primordiais para você tomar a decisão de implementá-los dentro do seu negócio.

Pensando nisso, podemos listar alguns reflexos positivos da adoção do vale-alimentação ou refeição nas empresas, como:

Aumento da produtividade da equipe

É sempre bom ter em mente que todo tipo de valorização dos funcionários impacta diretamente na produtividade das organizações. Consequentemente, afeta a visibilidade, que contribui com a competitividade, ou seja, uma atitude influi na outra. 

Nesse sentido, quando você oferece aos seus colaboradores a possibilidade de adquirirem um vale-alimentação ou refeição mensal, você está contribuindo diretamente para que a sua equipe se sinta mais motivada a entregar melhores resultados

Ações benéficas produzem resultados igualmente benéficos.

Retenção dos melhores talentos

Empresas com rotatividade grande ganham fama de lugares desagradáveis para se trabalhar. Pensando nisso, é importante oferecer oportunidades de crescimento, salários compatíveis com as funções exercidas e benefícios, tal como o fornecimento de vale-alimentação ou refeição, que facilitem o dia a dia do trabalhador.

Melhor integração entre colaborador e empresa 

Os benefícios e outras políticas voltadas à valorização dos funcionários criam um sentimento de pertencimento, que tende a conquistar a lealdade e a confiança dos membros da equipe. 

É com fundamento nisso que se pode avaliar quais são as perspectivas dos colaboradores em relação à organização. Por isso, é muito importante apostar na proximidade e na empatia, pois esses são ingredientes valiosos que estreitam a relação entre funcionário e empresa.

Portanto, fornecer benefícios que facilitem o dia a dia dos seus colaboradores é uma ótima maneira de você desenvolver uma maior proximidade com eles, além de garantir um ambiente de trabalho agradável e empático. 

Para fazer isso, uma opção com resultados comprovadamente positivos é o fornecimento de vale-alimentação ou refeição para os seus funcionários.

O que a lei prevê?

O VR ou VA não são benefícios obrigatórios por lei, mas oferecem diversos benefícios para as empresas.

De acordo com o que está previsto na CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) o vale-alimentação ou refeição não é obrigatório, assim, há um entendimento de que o salário do funcionário deve servir para suprir esse benefício. 

No entanto, caso o benefício seja concedido pela empresa sem descontar na folha de pagamento, ele adquire natureza salarial. Isso quer dizer que o VR ou VA será incorporado à remuneração do funcionário, refletindo no pagamento de tributos como o FGTS e o INSS. 

Contudo, a empresa empregadora pode fazer o desconto na folha, não ultrapassando 20% do salário do trabalhador. Nesse caso, o benefício é uma parcela indenizatória e não faz parte da remuneração.

Entretanto, saiba que a lei trabalhista não fixa um valor mínimo para desconto, e sim o teto do custo que será descontado na folha. Assim, ainda que o desconto seja um valor simbólico, ele não é incorporado à remuneração do funcionário.

PAT

Além disso, podemos contar com programas como o PAT (Programa de Alimentação do Trabalhador), uma iniciativa do Governo com intuito de incentivar as empresas empregadoras a oferecerem alimentação com qualidade aos seus colaboradores.

O empregador pode, então, atender aos colaboradores das seguintes formas:

I. Serviço próprio: o empregador responsabiliza-se pela seleção e aquisição de gêneros alimentícios, podendo estes ser preparados e servidos aos trabalhadores (refeições) ou entregues devidamente embalados para transporte individual (cestas de alimentos). 

II. Fornecimento de alimentação coletiva: o empregador contrata empresa terceira registrada no PAT para: a) administrar a cozinha e o refeitório localizados nas suas instalações; b) administrar cozinha industrial que produz refeições prontas posteriormente transportadas para o local de refeição dos trabalhadores; c) produzir e/ou entregar cestas de alimentos convenientemente embalados para transporte individual. 

III. Prestação de serviço de alimentação coletiva: o empregador contrata empresa terceira registrada no PAT para operar o sistema de documentos de legitimação (tíquetes, vales, cupons, 7 cheques, cartões eletrônicos), nos seguintes modos: 

a) refeição-convênio ou vale-refeição, no qual os documentos de legitimação podem ser utilizados apenas para a compra de refeições prontas na rede de estabelecimentos credenciados (restaurantes e similares); 

b) alimentação-convênio ou vale-alimentação, no qual os documentos de legitimação podem ser utilizados apenas para a compra de gêneros alimentícios na rede de estabelecimentos credenciados (supermercados e similares). Cabe esclarecer que é permitida a adoção de mais de uma modalidade pelo mesmo empregador. Referência normativa: art. 4º, do Decreto nº 5, de 1991; arts. 8º e 12, da Portaria SIT/DSST nº 3, de 2002.

Dessa forma, o PAT usufrui de benefícios fiscais que servem como incentivo. Assim, as empresas que são tributadas pelo Lucro Real, ao aderirem ao programa, estão habilitadas a deduzirem seu imposto de renda em até 4%.

Todavia, é cada dia mais comum vermos empresas usando o vale-alimentação ou refeição não obrigatórios como política de atração e retenção de talentos. É uma maneira de valorizar os funcionários com mais comodidade e tranquilidade.

É possível vender vale-alimentação ou refeição? 

Essa é uma pergunta muito recorrente por parte dos funcionários. Será que é realmente permitido vender vale-alimentação ou refeição?

A venda de vale-alimentação, tal como a venda de vale-refeição, é uma realidade para muitas pessoas atualmente. O benefício não foi utilizado no mês e logo o colaborador pensa que a melhor alternativa para a situação é vender o vale. 

Ainda que seja uma prática muito comum, vender vale-alimentação ou vale-refeição é proibido por lei.

A venda desse benefício se caracteriza como crime porque é considerada como um desvio de finalidade, visto que o colaborador está obtendo vantagem econômica por meio de uma fraude. 
Sendo assim, o funcionário pode ser demitido por justa causa.

Como escolher a melhor bandeira para o VR ou VA?

Além de saber a diferença entre VR e VA e saber escolher entre oferecer o vale-alimentação ou refeição, uma outra dúvida muito comum que surge entre os gestores na hora de contratar o benefício é qual a melhor bandeira. 

Mas, como é possível observar, os benefícios do vale alimentação ou refeição são variados, tanto para a empresa quanto para o colaborador, independente da bandeira, tudo depende dos interesses e necessidades que cada uma pode satisfazer.

Assim, os aspectos mais importantes a se considerar podem ser:

  • valores cobrados;
  • rede de atendimento local;
  • realidade da equipe de trabalhadores e da empresa. 

É interessante proporcionar mais comodidade, segurança e flexibilidade para todos os envolvidos.

Hoje, a cultura organizacional caminha para questões mais humanizadas e sintonizadas com as necessidades das pessoas que trabalham e dedicam um tempo precioso às empresas. Com isso, começaram a surgir diversas formas de tornar os ambientes corporativos mais agradáveis. 

Atualmente, muitos dos locais de trabalho estão cada dia mais parecidos com o lugar onde as pessoas querem estar, simplesmente, porque lá se sentem bem. Os benefícios integram esse conjunto de fatores. 

O iFood Benefícios tem o mesmo objetivo: espalhar sorrisos através de um vale-alimentação e refeição em um só cartão. Porque vale refeição com sorriso é muito mais gostoso.

Você conhece o Departamento do Sorriso? Rafael Portugal e Luana Xavier entraram para o time de Food Lovers e estão com o compromisso de espalhar sorrisos entre os colaboradores através do vale do sorriso, o iFood Benefícios: Sorriso de orelha a orelha.

Quer saber mais sobre? Revolucione a alimentação da sua empresa e espalhe felicidade por aí, afinal, um sorriso puxa outro: iFood Benefícios.

Gostou? Compartilhe!

Por: Fernanda Rodrigues

Analista de Marketing de Conteúdo com formação em linguística e especialização em comunicação digital. Amante de marketing, negócios e tecnologia.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.