Os candidatos às vagas de emprego costumam enxergar as políticas de benefícios como ótimos diferenciais, uma vez que esse tipo de iniciativa por parte das empresas demonstra maior preocupação com o bem-estar dos colaboradores. 

O vale-alimentação ou refeição são exemplos disso. Eles facilitam bastante a rotina diária de quem trabalha fora, principalmente longe de casa.

Por isso, manter essas políticas de forma a atrair os melhores talentos para as organizações é um dos grandes desafios encontrados pelas equipes de recursos humanos e, embora não seja obrigatório, muitas empresas adotam o vale-refeição ou alimentação.

Se você tem dúvidas sobre a diferença entre VR e VA, não sabe como decidir entre as duas opções e quer saber qual é a melhor escolha para sua empresa, continue a leitura!

Qual a diferença entre VR e VA?

A princípio, é importante saber a diferença entre VR e VA, que se assemelham, mas não são idênticos. 

O vale-refeição é normalmente usado durante o período em que o funcionário está trabalhando, com a finalidade de prover a alimentação nos estabelecimentos que oferecem almoços e lanches, como restaurantes, panificadoras e lanchonetes.

Já o vale-alimentação serve, também, para as compras em redes de supermercados, a fim de fornecer os mantimentos da casa. Por isso, esse último é mais flexível e completo, e acaba sendo mais útil para a maioria dos colaboradores. 

Enquanto isso, o vale-refeição ajuda apenas com a alimentação diária nas imediações do local de trabalho.

Ou seja, o vale-refeição facilita o acesso à alimentação pelo colaborador nas proximidades do trabalho, enquanto o vale-alimentação leva um benefício para toda a família. 

Como escolher entre vale-alimentação ou refeição?

Para escolher entre o vale-alimentação ou refeição, é importante considerar as necessidades dos colaboradores.

Agora você já sabe qual a diferença entre VR e VA, mas afinal, qual é a melhor opção para a empresa? 

Esta é uma pergunta bastante comum e gera dúvidas na hora da escolha entre vale-alimentação ou refeição. Conforme já adiantamos, não é obrigatório oferecê-los, porém, essa é uma ferramenta muito poderosa para retenção de talentos.

E a resposta para essa pergunta pode ser muito mais simples do que parece: na hora de decidir entre oferecer VR ou VA, deixe a escolha por conta dos colaboradores. 

Cada um tem suas necessidades e, dessa forma, todos podem optar pela modalidade que melhor as atenda. Normalmente é o que as companhias fazem: deixam em aberto para que seus funcionários se sintam à vontade em suas escolhas, o que revela ainda mais empatia por parte dos gestores.

Se, porventura, não for possível oferecer as duas formas de benefício, o ideal é fazer uma pesquisa de opinião entre os funcionários para entender qual é a preferência da maioria.

Além disso, o RH da empresa também pode optar por oferecer as 2 modalidades do benefício. O iFood Benefícios oferece essa possibilidade, sempre pensando em dar aos colaboradores a melhor experiência na hora de se alimentar!

Vantagens de oferecer vale-alimentação ou refeição

Além de saber a diferença entre VR e VA, é importante conhecer quais as vantagens desses benefícios. Podemos listar alguns reflexos positivos da adoção do vale-alimentação ou refeição nas empresas, como:

Aumento da produtividade da equipe

É sempre bom ter em mente que todo tipo de valorização dos funcionários impacta diretamente na produtividade das organizações. Consequentemente, afeta a visibilidade, que contribui com a competitividade, ou seja, uma atitude influi na outra. 

Ações benéficas produzem resultados igualmente benéficos.

Retenção dos melhores talentos

Empresas com rotatividade grande ganham fama de lugares desagradáveis para se trabalhar. Pensando nisso, é importante oferecer oportunidades de crescimento, salários compatíveis com as funções exercidas e benefícios, que facilitem o dia a dia do trabalhador.

Melhor integração entre colaborador e empresa

Os benefícios e outras políticas voltadas à valorização dos funcionários criam um sentimento de pertencimento, que tende a conquistar a lealdade e a confiança dos membros da equipe. 

É com fundamento nisso que se pode avaliar quais são as perspectivas dos colaboradores em relação à organização. Por isso, é muito importante apostar na proximidade e na empatia, pois esses são ingredientes valiosos que estreitam a relação entre funcionário e empresa.

O que a lei prevê?

O VR ou VA não são benefícios obrigatórios por lei, mas oferecem diversos benefícios para as empresas.

De acordo com o que está previsto na CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) o vale-alimentação ou refeição não é obrigatório, assim, há um entendimento de que o salário do funcionário deve servir para suprir esse benefício. 

No entanto, caso o benefício seja concedido pela empresa sem descontar na folha de pagamento, ele adquire natureza salarial. Isso quer dizer que o VR ou VA será incorporado à remuneração do funcionário, refletindo no pagamento de tributos como o FGTS e o INSS. 

Contudo, a empresa empregadora pode fazer o desconto na folha, não ultrapassando 20% do salário do trabalhador. Nesse caso, o benefício é uma parcela indenizatória e não faz parte da remuneração.

Entretanto, saiba que a lei trabalhista não fixa um valor mínimo para desconto, e sim o teto do custo que será descontado na folha. Assim, ainda que o desconto seja um valor simbólico, ele não é incorporado à remuneração do funcionário.

PAT

Além disso, podemos contar com programas como o PAT (Programa de Alimentação do Trabalhador), uma iniciativa do Governo com intuito de incentivar as empresas empregadoras a oferecerem alimentação com qualidade aos seus colaboradores.

Dessa forma, o PAT usufrui de benefícios fiscais que servem como incentivo. Assim, as empresas que são tributadas pelo Lucro Real, ao aderirem ao programa, estão habilitadas a deduzirem seu imposto de renda em até 4%.

Todavia, é cada dia mais comum vermos empresas usando o vale-alimentação ou refeição não obrigatórios como política de atração e retenção de talentos. É uma maneira de valorizar os funcionários com mais comodidade e tranquilidade.

Como escolher a melhor bandeira para o VR ou VA?

Além de saber a diferença entre VR e VA e saber escolher entre oferecer o vale-alimentação ou refeição, uma outra dúvida muito comum que surge entre os gestores na hora de contratar o benefício é qual a melhor bandeira. 

Mas, como é possível observar, os benefícios do vale alimentação ou refeição são variados, tanto para a empresa quanto para o colaborador, independente da bandeira, tudo depende dos interesses e necessidades que cada uma pode satisfazer.

Assim, os aspectos mais importantes a se considerar podem ser:

  • valores cobrados;
  • rede de atendimento local;
  • realidade da equipe de trabalhadores e da empresa. 

É interessante proporcionar mais comodidade, segurança e flexibilidade para todos os envolvidos.

Hoje, a cultura organizacional caminha para questões mais humanizadas e sintonizadas com as necessidades das pessoas que trabalham e dedicam um tempo precioso às empresas. Com isso, começaram a surgir diversas formas de tornar os ambientes corporativos mais agradáveis. 

Atualmente, muitos dos locais de trabalho estão cada dia mais parecidos com o lugar onde as pessoas querem estar, simplesmente, porque lá se sentem bem. Os benefícios integram esse conjunto de fatores. 

Se você quer saber mais sobre o assunto, confira nosso e-book e saiba tudo o que sua empresa precisa para escolher o benefício ideal para seus colaboradores.

Gostou? Compartilhe!

Por: Fernanda Rodrigues

Analista de Marketing de Conteúdo com formação em linguística e especialização em comunicação digital. Amante de marketing, negócios e tecnologia.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.