As Softs Skills são as habilidades relacionadas ao comportamento humano, requisitadas pelas grandes equipes de RH que estão sempre atentas às transformações do mercado. 

Tais empresas valorizam os colaboradores que tenham competências sociais e emocionais capazes de superar conflitos e fortalecer o clima e cultura organizacional.

Em uma pesquisa chamada Global Talent Trends 2019, realizada pelo LinkedIn, uma informação interessante foi descoberta: o Brasil está entre os países nos quais as habilidades comportamentais são as mais valorizadas e requisitadas por grandes empresas. 

A média de 95% é superior ao restante do mundo, que possui pontuação de 92%. Isso, por sua vez, só comprova os estudos de que as competências pessoais são um dos pontos mais decisivos para a obtenção de resultados dentro das organizações de todas as áreas.

Em outro estudo, desta vez realizado pelo site de recrutamento CareerBuilder, 2.138 gestores foram questionados sobre a importância do desenvolvimento das soft skills em seus funcionários. Dentre todos, 77% responderam que as consideram tão importantes quanto as habilidades técnicas. Outros 16%, as julgam ainda mais valiosas que os conceitos teóricos.

Em vista disso, torna-se evidente o quanto é importante conhecer e desenvolver essas skills em seus colaboradores. Sendo assim, detalharemos ao longo deste artigo como identificar funcionários com pré-disposições nessas competências tão essenciais. Continue acompanhando e saiba mais!

Qual o significado de soft skills e como surgiu o conceito?

O significado de softs skills diz respeito a competências pessoais relacionadas a comunicação e relacionamento interpessoal. Como adaptação em diferentes ambientes, facilidade para trabalhos em equipe e motivação em momentos delicados.

Em outras palavras, são atributos individuais, mas que produzem grande diferença na comunicação com as demais pessoas e geram melhores resultados para as empresas.

O termo foi derivado da língua inglesa, popularizado pelos setores de recursos humanos estadunidenses. Entretanto, para entendê-lo, não devemos nos ater a tradução literal de Soft Skill, que seria relacionada a “habilidades leves”, pois, o seu conceito é bem diferente.

Se originou em 1972, dentro dos manuais de treinamento das forças armadas. Seu objetivo era, inicialmente, promover a humanização dos militares, fazendo com que colocassem o benefício social acima dos combates, melhorando a harmonia das equipes e deixando um clima mais leve dentro dos quartéis.

No entanto, o resultado obtido foi tão eficiente que o vocábulo começou a se popularizar, chegando rapidamente as empresas e aos profissionais de RH. E atualmente, como percebido através das pesquisas citadas anteriormente, as habilidades comportamentais são importantes qualificações profissionais que se destacam no currículo.

Por que valorizar as soft skills dentro das empresas?

Dentro do ambiente corporativo, onde as diferenças e conflitos surgem a todo momento, quem consegue se adaptar a elas e resolvê-las de maneira simples se valoriza entre a competitividade organizacional. 

Soft skills são habilidades importantes para um bom sucesso empresarial.

Uma pesquisa realizada pelo The Wall Street Journal, indicou dados alarmantes: cerca de 30% dos executivos discutem com seus colegas de trabalho no mínimo uma vez ao mês. 

Nesse cenário, quem possui maiores habilidades interpessoais se destaca, tanto por não causar mais problemas quanto por apresentar soluções viáveis para o conflito. 

Colaboradores com soft skills, dentro desse contexto, se tornam grandes aliados dos gestores, ajudando a manter o clima organizacional sempre adequado e evitando conflitos que possam prejudicar a companhia como um todo.

Sendo assim, podemos considerar que as softs skills são requisitos exigidos para trabalhar com a competitividade e quem desenvolve-as têm maiores possibilidades de pleitear novos cargos, bem como de obter sucesso na atual função que ocupa.

Nesse sentido, é necessário identificar e valorizar profissionais com bom desenvolvimento na área humana. A partir delas pode-se criar verdadeiras transformações dentro do ambiente de trabalho e aumentar a produtividade, diminuindo o tempo perdido em pequenas divergências e aumentando o número da manufatura diária.

Qual a diferença entre hard skills e soft skills?

Comumente, ambos os termos se confundem bastante, mas na verdade tratam de assuntos diversos. Enquanto as soft skills são características pessoais associadas ao relacionamento humano, as hard skills são aquelas habilidades técnicas associadas à experiência na área ou conhecimento teórico.

Por exemplo, dentro do cenário empresarial, uma hard skill seria o entendimento das funções de uma máquina específica, enquanto a soft skill relacionada a ela poderia ser a habilidade de aprendizado rápido sobre o funcionamento do equipamento.

Em uma pesquisa realizada em âmbito global, 450 gestores entrevistados informaram que jovens em início de carreira não estão prontos para ingressar nas funções as quais se candidatam. Comumente, são inteligentes e possuem o conhecimento relacionado ao meio digital, porém, ainda não detém as soft skills para se adaptar aos outros colaboradores.

Já outro estudo, dessa vez criado pela Capgemini Digital Transformations Institute, informou que 60% das empresas sofrem com a carência de soft skills.

Entretanto, os pontos que envolvem habilidade técnica podem ser desenvolvidos facilmente, desde que o funcionário tenha competências que facilitem a aquisição de conhecimento. 

Já o desenvolvimento de um bom relacionamento interpessoal, é bem mais complexo e muitas vezes, demanda um grande tempo de adaptação, o qual, as empresas não possuem.

A relação entre competências e habilidades pessoais

As soft skills podem ser advindas de habilidades pessoais ou de competências. Em ambos os casos, possuem o mesmo valor dentro da organização e podem fazer grande diferença no trabalho da empresa.

Segundo Sharlyn Lauby, especialista em RH norte americana, as competências são todas as características que podem ser desenvolvidas através de treinamentos ou convivência interpessoal. Ou seja, são aquelas capacidades que podem ser evoluídas com acompanhamento de um profissional.

Já as habilidades são aptidões naturais, que fazem parte da personalidade do indivíduo e se aplicam em todos os âmbitos de sua vida. Na maioria dos casos, são inerentes a prática do ambiente profissional, mas podem ser aprimoradas para lidar com situações específicas do dia a dia corporativo.

Com isso, salientamos que mesmo os colaboradores que não possuem as soft skills requisitadas pela organização, também podem se desenvolver se houver proatividade e o desejo de melhorar por parte do indivíduo.

Exemplos de softs skills requisitadas pelas empresas

Segundo Guilherme Junqueira, CEO da Gama Academy, em entrevista para a revista Forbes, todas as soft skills são importantes, mas algumas podem causar maior impacto dentro do trabalho operacional.

Com base nisso, é importante conhecê-las, de modo a identificá-las e melhorar ainda mais a força de trabalho da sua empresa. Acompanhe.

Comunicação Interpessoal

A comunicação empresarial vai muito além das conversas intersetoriais. Dentro das organizações, além das capacidades de persuasão, a skill comunicativa representa as habilidades de interpretação e empatia sobre as falas ouvidas e transmissões de ideais entre os colegas e clientes.

A comunicação é uma soft skill necessária para um bom sucesso do time. 

Os colaboradores que a possuem comumente são ótimos líderes, por transmitir os objetivos estabelecidos de maneira a abranger todos os membros do setor, com uma linguagem clara e persuasiva.

Antifragilidade 

Esse é um conceito criado por Nassim Nicholas Taleb em seu livro “Antifrágil: coisas que se beneficiam com o caos”, de 2012. E que vem se destacando, principalmente em tempos de crise, como uma das principais habilidades comportamentais. 

Essa habilidade diz respeito a capacidade de melhorar a medida que é exposto a situações difíceis. Ou seja, ele contraria o conceito de fragilidade, de algo que se prejudica com as crises. 

Se diferenciando e complementando um conceito já reconhecido, a resiliência, relacionada à capacidade de ser flexível a mudanças e situações adversas de pressão no trabalho. A antifragilidade reforça a mentalidade de não se esquivar ou fugir dos riscos, mas sim enfrentá-los e se aproveitar  dos aprendizados para seu desenvolvimento pessoal. 

Ética

Provavelmente a soft skill mais difícil de ser desenvolvida dentro do ramo empresarial, no entanto, uma das mais requisitadas e necessárias atualmente. Isso porque essa habilidade serve como base para a aprimoração e desenvolvimento de muitas outras.

A ética aborda questões além do cumprimento de horários e realização completa das atividades designadas, por exemplo. 

Ela contempla características interpessoais que envolvem o respeito às diversidades e crescimento em conjunto com a equipe, mesmo diante do ambiente competitivo das empresas.

Inteligência emocional

Um profissional que tenha capacidade de reconhecer e mapear suas emoções e comportamentos, sejam eles construtivos ou não, é bastante útil para as empresas. 

Afinal, a partir dessas reflexões e autoconhecimento é possível encontrar os melhores caminhos a serem seguidos no decorrer na carreira. 

Pensamento criativo

Ter criatividade para solucionar os problemas e adversidades é uma ótima estratégia! 

Nada é mais importante ao termos um problema do que a capacidade de encontrar diferentes soluções para resolvê-lo. 

Pessoas que conseguem enxergar caminhos diversos costumam se envolver menos em conflitos, bem como acarretar menos problemas para a gestão.

Quando relatam uma falha, esses profissionais apresentam também possíveis saídas válidas e efetivas, o que poupa tempo e torna o trabalho da equipe ainda mais enxuto, além de deixar um clima mais leve na empresa.

Positividade

Nada melhor para manter a motivação da equipe do que um companheiro de trabalho capaz de enxergar a melhor parte de todas as situações e sempre ver algo positivo nas ações dos companheiros. 

Pessoas positivas costumam acalmar o ambiente e torná-lo menos tenso, bem como possuem mais facilidade para lidar com situações de pressão. Elas recebem cargas emocionais pesadas, mas conseguem difundi-las e oferecer como resposta um trabalho ainda mais efetivo.

Colaboração 

Dentre os papéis mais difíceis de um gestor, engajar colaboradores individualistas com toda a certeza está entre os primeiros lugares da lista. Nesses casos, os funcionários priorizam o bem-estar próprio e não trabalham buscando resultados coletivos. 

Já aqueles que possuem a soft skill de colaboração conseguem se encaixar em diferentes funções e não enxergam problema em serem remanejados diversas vezes. 

Eles percebem nesses momentos a oportunidade de ajudar os colegas e construir uma linha de trabalho ainda mais fluida e eficaz como um todo.

Gestão de tempo 

Profissionais que possuem uma boa gestão de tempo costumam entregar sua demanda sempre dentro dos prazos corretos. Isso porque entendem quanto tempo cada tarefa precisa e, com isso, se organizam para nunca faltar com o compromisso assumido e nem atrasar a sua entrega.

São sempre uma parte importante da força de trabalho por acelerarem a produção e engajarem os demais colegas em uma entrega mais rápida e eficiente.

Como desenvolver soft skills de maneira simples e prática

Mesmo que as soft skills sejam, comumente, questões relacionadas à personalidade e habilidades intrínsecas ao profissional, elas também podem ser desenvolvidas com muito esforço e dedicação. 

Para isso é necessário dedicar tempo e realizar diferentes exercícios, de modo a se adaptar as competências exigidas pelo mercado. 

Confira, abaixo, algumas dicas para se tornar ainda melhor nos requisitos comportamentais.

Leia muito sobre gestão e comunicação empresarial 

Entre as principais características de um gestor, saber manter uma postura respeitável e segura frente a sua equipe é essencial. Por esse motivo, nos livros de gestão são repassadas diversas técnicas para aquisição de confiança frente ao público. 

Além disso, também são recorrentes temas como persuasão e resolução de conflitos, skills muito importantes no mercado. 

Livros e cursos são ótimas estratégias para desenvolver soft skills 

Sendo assim, através da leitura de diversos autores que escrevem sobre o assunto pode-se descobrir pontos de vista e exercícios variados, visando assumir uma posição confortável frente a todo tipo de situação. 

Busque se tornar uma pessoa flexível 

A flexibilidade é uma soft skill útil em diversos aspectos dentro do ramo empresarial. 

Para adquiri-la, o ideal é se infiltrar em todo tipo de conversa, ouvindo diferentes pontos de vista e buscando entender cada um dos argumentos. 

Com isso, você aprende a ver todos os lados das situações e pode aplicar essa prática dentro do âmbito profissional. Consequentemente, melhorará sua habilidade de resolução de conflitos e também a empatia interpessoal. 

Esteja sempre disposto a aprender

Não tenha vergonha de pedir conselhos a algum colega no qual você enxergue habilidades comportamentais valiosas. Ele poderá lhe passar dicas práticas e explicar como age em situações nas quais você tem dificuldades.

Não fuja dos problemas

Quem não possui muitas soft skills costuma assumir uma postura temerosa frente a situações desconhecidas e passar as responsabilidades de resolução para terceiros. 

Porém, essa atitude implica na não aprendizagem e na perda de várias oportunidades de melhora.

Quando estiver em um momento que lhe faça se sentir inseguro, procure enfrentar o problema e buscar a melhor solução possível. Pedir ajuda é um ótimo caminho, desde que sua presença continue ativa no caso. 

Desse modo, você irá adquirir experiência e não terá tanta dificuldade quando passar por uma situação parecida novamente.  

Como identificar soft skills dos colaboradores?

O momento da entrevista de emprego é um dos mais importantes para uma empresa. É através dela que é feita a seleção entre aqueles candidatos adequados ao cargo e os que tendem a não cumprir as expectativas.

Segundo o The Undercover Recruiter, 33% dos recrutadores definem sua decisão sobre a contratação nos primeiros 90 segundos. 

Ou seja, as competências analisadas são diretamente relacionadas às habilidades comportamentais demonstradas no início, e não a ficha técnica descrita posteriormente.

Desse modo, recomendamos alguns caminhos para analisar e identificar aqueles candidatos que, de fato, possuem soft skills valiosas e que podem fazer diferença no dia a dia da sua empresa.

Faça perguntas abertas

Quando um candidato é induzido a falar sobre si, pode demonstrar mais facilmente suas habilidades comunicativas. Responder sim ou não é automático, mas exemplificar atividades ou atitudes pode, de fato, demonstrar mais sobre as competências pessoais do entrevistado.

Nesse sentido, perguntas como “fale sobre um período no qual precisou trabalhar em equipe”, “Quais são as habilidades que você quer desenvolver se for contemplado pela vaga?” e  “como você lida com conflitos no ambiente de trabalho?” são bastante úteis as conclusões do recrutador.

Como desenvolver habilidades comportamentais dentro da empresa?

Em alguns casos, é comum que as soft skills sejam descobertas dentro da entrevista, mas não se destaquem no ambiente profissional. Nesse cenário, é papel da gestão identificar esses colaboradores e torná-los aliados do trabalho de qualidade.

Para isso, a melhor dica é ficar atento a rotina diária. Funcionários éticos e comunicativos dificilmente se envolvem em conflitos, por possuírem maior facilidade para os relacionamentos. 

Além disso, costumam se aproximar dos líderes em situações nas quais identificam problemas ou colegas não colaborativos, demonstrando uma proatividade e poder de observação.

Implemente uma cultura de feedback

Alguns gestores costumam se sentir temerosos frente a obrigatoriedade de apresentar resultados a suas equipes. 

No entanto, pesquisas apontam que a falta de feedback é um dos maiores responsáveis pela insatisfação de colaboradores com sua gestão. 

Quando não há uma resposta do líder é comum que os funcionários sintam-se perdidos, sem um norte para seguir. Desse modo, acabam desmotivados e apresentam resultados inferiores ao necessário. 

Portanto, uma ótima maneira de desenvolver soft skills em colaboradores é através de feedbacks periódicos. Durante essas pequenas reuniões o gestor tem a possibilidade de apontar de maneira ética e individual quais pontos de melhora o contratado deve trabalhar.

Além disso, essa também é uma ótima oportunidade de criar uma relação mais próxima e aberta, passando exercícios e dicas para que o funcionário desenvolva suas habilidades.

Com essa cultura de feedback os trabalhadores deixam de enxergar as reuniões de gestão como um ponto assustador e passam a vê-las de maneira mais tranquila e agradável. 

Assim, todo o ambiente corporativo se torna mais leve e propício ao desenvolvimento dos comportamentos ambicionados. 

Se você deseja saber mais sobre as soft skills e outros conteúdos relacionados a gestão, conheça o nosso blog! Por meio dele, fornecemos diversas dicas para você construir um ambiente de trabalho ainda melhor e mais produtivo!

Gostou? Compartilhe!

Por: Helenoá Trevisan

Formação em Linguística com especializações em comunicação digital. Entusiasta da aprendizagem interdisciplinar e amante da união entre jogos, animação e tecnologia em ferramentas facilitadoras para a vida corporativa.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Comentários

  • Pedro Franco Netto

    julho 1, 2020 | 6:00 pm

    Excelente artigo. Certamente o mais abrangente e de muito boa qualidade e conteúdo que já li e analisei sobre soft skills. Parabéns aos autores.