Pode até ser que há poucos anos atrás reter talentos era algo que dependia apenas de bons salários e alguns benefícios adicionais. Contudo, atualmente, isso está cada vez mais ligado às ações que valorizam o bem-estar e a autonomia das pessoas, como é o caso da Short Friday.

Não é por acaso que esse conceito está entre as principais tendências de gestão de pessoas. Ao estipular uma jornada flexível que reduz a carga horária do último dia da semana, ele permite uma melhor conciliação entre as demandas profissionais e a vida pessoal. 

Como você verá adiante, essa é a fórmula perfeita para melhorar o clima organizacional e a qualidade de vida no trabalho. Ao mesmo tempo, isso também incentiva uma melhor performance, engajamento e retenção dos colaboradores. 

Mas, o que é Short Friday e como funciona? Por que ela se destaca entre as maiores tendências do trabalho no futuro? Descubra os detalhes mais importantes sobre o assunto ao longo deste artigo. 

O que é Short Friday? 

Mesmo que o home office já seja uma realidade no futuro do trabalho pós-pandemia, a falta de flexibilidade ainda é um problema. Durante a semana, as pessoas não conseguem resolver seus compromissos e pendências. Afinal, elas estão ocupadas justamente no horário comercial. 

Para garantir mais equilíbrio na rotina dos profissionais, ampliar seu senso de liberdade e favorecer o bem-estar dos colaboradores, a Short Friday propõe a possibilidade de sair mais cedo dos postos laborais. 

Traduzido do inglês, o termo significa “sexta-feira curta”. Como o nome sugere, é bem no último dia útil da semana que ocorre a redução da jornada. Assim, as pessoas podem aproveitar para resolver suas questões pessoais e ainda somar o tempo livre ao restante do fim de semana.

Ao contrário do day off, que pode ocorrer em qualquer dia na forma de um benefício, a Short Friday não funciona como uma folga remunerada. Ela consiste basicamente em uma saída prévia na sexta-feira. Seu horário e recorrência são acordados previamente. 

Como funciona o Short Friday? 

Os horários para a liberação dos colaboradores variam entre as empresas. Geralmente, isso é feito depois do horário do almoço, às 15h ou às 16h. A recorrência também depende. Alguns negócios fazem Short Friday toda semana, outros de forma quinzenal ou mensalmente.

Em todos os casos, o período livre precisa ser acertado em comum acordo entre a organização e seus funcionários. Inclusive, a gestão do tempo é importante, pois é possível que o horário liberado na sexta-feira seja compensado. Entenda abaixo como isso funciona legalmente.

Short Friday e as leis trabalhistas

A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) não prevê questões específicas para a flexibilidade de horários nas empresas. Contudo, é preciso ater-se à exigência da carga horária de 44 horas por semana. 

A fim de respeitar a legislação, a adoção da Short Friday quase sempre é estipulada por meio de um acordo coletivo. O mesmo envolve não só os próprios colaboradores, como também o sindicato de sua categoria. 

Normalmente, o tempo não trabalhado é compensado em outros dias úteis. Isso pode ser feito em reuniões extraordinárias, por exemplo. No home office, em que a CLT não exige controle de jornada, é possível simplesmente reduzir as demandas exigidas de trabalho para a equipe.  

Quais as vantagens para as empresas? 

A Short Friday é uma maneira de incentivar a satisfação, a qualidade de vida, a saúde mental e a própria produtividade no trabalho. Simultaneamente, ela também é uma forma de adequar-se à nova realidade das empresas. 

Isso porque, a geração Z no mercado de trabalho é crescente. Isso significa que indivíduos nascidos entre a segunda metade da década de 90 e início de 2010 estão se consolidando na nova geração de profissionais. Para eles, os modelos laborais tradicionais já não servem mais.

De acordo com o estudo “2021 Millennial & Gen Z Survey”, as maiores prioridades profissionais dessa geração incluem valores como adaptabilidade e flexibilidade. Esses são justamente os diferenciais que ações como a Short Friday oferecem.

Portanto, estamos falando de um diferencial decisivo para atrair jovens talentos, para destacar-se diante dos novos paradigmas que devem tomar conta do mercado e ainda para gerar benefícios como: 

Aumenta a motivação, engajamento e produtividade

Mesmo os melhores salários não compensam jornadas cansativas e a falta de flexibilidade. Oferecer mais liberdade aos colaboradores é demonstrar que a empresa os valoriza. Isso amplia sua motivação e engajamento com o trabalho, e naturalmente sua produtividade. 

Melhora o clima organizacional

O excesso de rigor em relação às jornadas e horários cria um ambiente estressante, que fica mais favorável a conflitos e problemas de relacionamento. A Short Friday é uma forma de tornar o clima organizacional mais leve, favorecendo a rotina de trabalho de todos. 

Atrai e retém talentos

Por falar no clima da organização, é evidente que uma jornada de trabalho mais satisfatória e flexível gera funcionários mais satisfeitos. Isso é excelente para reter bons talentos na empresa, algo que é cada vez mais difícil frente ao dinamismo do mercado atual. 

Fortalece a marca empregadora

As empresas que oferecem Short Friday favorecem sua imagem de marcas empregadoras. Isso significa que elas são vistas como excelentes locais para trabalhar. Ou seja, é uma forma de atrair os melhores profissionais para o seu time. 

Incentiva a flexibilidade

Como reforçamos ao longo deste artigo, a noção de jornada flexível está se tornando uma regra no mercado. Quanto mais ações nesse sentido a sua empresa praticar, mais alinhada ela estará às principais tendências de trabalho. 

Já que o assunto é flexibilidade, que tal ir além da Short Friday e incluir ainda mais ações para promovê-la junto ao seu time? Conheça o cartão iFood Benefícios e descubra como impulsionar a satisfação dos seus colaboradores com mais possibilidades no vale-refeição ou alimentação. 

Gostou? Compartilhe!

Por: Larissa Trento Oliveira

Formada em Administração pela Universidade Federal do Espírito Santo, Larissa é BP no iFood há dois anos e tem paixão por trazer impacto diretamente no desenvolvimento de pessoas com sua profissão e, como consequência, agregar valor para o business. Mãe de pet de carteirinha, é amante de corrida e exercícios físicos, principalmente quando envolve passear com o Zeca, seu border collie. Larissa já atuou como BP do time iFood Colômbia, México, iFood Shop, Marketing e agora atua como ponto focal do RH para crescimento do iFood Benefícios.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.