Recrutamento e seleção são duas atividades diferentes, mas complementares. Por isso, elas constituem uma única disciplina dentro da área de Recursos Humanos. A importância de ambas é enorme, tanto juntas quanto individualmente.

Para aprofundar seus conhecimentos sobre esses processos, vamos explicar desde o conceito até as melhores práticas para aplicação na sua empresa. Esperamos que, no fim deste artigo, você se sinta pronto para reinventar o modo como contrata talentos. Boa leitura!

O que é recrutamento e seleção?

Como disciplina do RH, trata-se da atividade responsável por atrair e filtrar os profissionais interessados em trabalhar na empresa em questão.

Separadamente, cada atividade fica com uma das palavras-chave acima: atrair está sob a alçada do recrutamento, e filtrar fica com a seleção.

Os profissionais de R&S, como também é conhecido o campo, determinam uma série de fatores que os ajudarão a identificar as melhores pessoas para cada oportunidade. 

Portanto, o trabalho vai muito além da publicação de vagas e entrevistas. O recrutamento e seleção de pessoas, para ser eficaz, precisa de uma visão mais abrangente — sobre a qual falaremos logo, logo.

Qual a importância do recrutamento e seleção para a empresa?

Um recrutamento e seleção estratégico filtra melhores colaboradores para a empresa.

Montar a sua equipe dos sonhos não é impossível, mas é trabalhoso. Até encontrar os mais adequados para cada cargo, talvez leve um tempo. Acontece que nem sempre a empresa tem como esperar, ou possui orçamento para trocar de time toda hora.

Um bom processo de recrutamento e seleção de pessoas agiliza tudo isso. E não estamos falando apenas da demora para preencher a vaga, mas de tudo que afeta os negócios. Ter escolhido um colaborador que não fica por muito tempo, ou não faz um bom serviço, é mais prejudicial do que parece.

Para começar, se o turnover está alto, os custos com rotatividade de funcionários já está além do esperado. Tanto as contratações quanto às demissões exigem despesas, que, teoricamente, só precisariam entrar na conta de vez em quando. Se elas já fazem parte do cálculo mensal, tem algo errado.

Outro ponto fundamental é a compatibilidade do candidato com a cultura da empresa. Ele pode preencher todos os requisitos técnicos, mas se não combinar com os valores da organização, é improvável que ele se sinta satisfeito no dia a dia. Consequentemente, ficará desmotivado e improdutivo.

Por meio de diversas técnicas de seleção, o RH consegue reduzir o risco desses transtornos. Acertar na contratação significa um pulo direto para um funcionário motivado, com reais planos de carreira dentro da empresa e alinhado aos objetivos da equipe inteira.

Qual o papel do RH no recrutamento e seleção de pessoas?

A responsabilidade do recrutamento e seleção é toda do RH. Idealmente, o departamento conta com mais de uma pessoa, principalmente nesse momento, já que o trabalho é extenso e detalhado.

Não é à toa que o RH se tornou muito mais uma peça estratégica fundamental da empresa, deixando de ser vista como uma área estritamente operacional, de “preenchimento de papelada” e afins.

Os profissionais da área são os mais indicados para realizar todos os processos de recrutamento e seleção, tanto por serem especialistas quanto por terem grande conhecimento sobre a cultura organizacional em que estão inseridos. 

Eles fazem a ponte entre o que já existe e o que precisa existir, com o objetivo de aumentar a produtividade, os lucros e o nome da marca no mercado.

Nos últimos anos, o RH tem se rendido mais e mais à tecnologia e novas metodologias, inclusive ao recrutar. Ou seja, é um departamento de constante atualização e pode ser o grande diferencial para o sucesso da sua equipe e, em seguida, da empresa.

Como é realizado o recrutamento e seleção?

Quando elencados, os pilares de um recrutamento auxilia para uma seleção mais ágil.

O passo a passo para o recrutamento e seleção de pessoas não é sempre igual, mas possui alguns padrões de boas práticas. Os pilares do processo podem ser resumidos em:

Atração

O início de tudo é hora de reunir os dados sobre o que deve ser procurado. O recrutador atua em conjunto com o gestor do setor que está contratando, descobrindo juntos os requisitos para a vaga.

Em seguida, o anúncio é elaborado e publicado nos canais mais apropriados, algo que pode variar entre empresas.

Triagem

A quantidade de currículos costuma ser grande para todo tipo de vaga. Se não for o caso e não houver uma explicação para isso, pode ser melhor retornar ao passo anterior e rever a estratégia de divulgação.

De qualquer forma, com as candidaturas em mãos, é hora de triar. O recrutador sabe quais habilidades e condições são indispensáveis. A partir daí, o número de currículos diminui para algo mais possível de analisar com atenção.

Seleção

É hora de passar para o próximo estágio: o recrutamento e seleção dos candidatos que mais parecem fazer sentido a partir de seus currículos. Muitas empresas também realizam testes nesta etapa ou mesmo na anterior, para filtrar ainda mais os resultados.

O próximo passo é, geralmente, a entrevista. O recrutador saberá dizer quanto tempo ele e o gestor parceiro terão para realizar essas conversas, o que define quantas pessoas podem entrar nessa fase.

Contratação

Por fim, o recrutador e o gestor se reúnem para discutir as melhores opções dentre as que restaram. As soft skills são levadas em conta, a postura na entrevista, as habilidades técnicas, a facilidade de locomoção até o trabalho ou possibilidade de home office, entre muitos outros fatores.

Para manter uma boa imagem da empresa, é importante também retornar a negativa aos demais candidatos que estão aguardando uma resposta.

Quais são os tipos de recrutamento e seleção?

Atualmente, existem três diferentes processos de recrutamento e seleção: o interno, o externo e o misto.

Processo interno

O interno, como o nome indica, ocorre quando se tem a intenção de preenchimento de vaga com alguém que já trabalha na empresa. É o caso de promoções ou realocações de funcionários para outros departamentos ou filiais.

No recrutamento interno, você ainda melhora o relacionamento com os colaboradores, aumenta a retenção de talentos e tem menos custos.

Processo externo

O externo é o tradicional, que depende da divulgação em canais específicos. É o tipo ideal de recrutamento quando se está montando uma equipe, substituindo alguém com um conjunto de habilidades específico, ou quando não há opções válidas internamente. 

No externo, você ganha novas visões para o desenvolvimento da empresa e enriquece o capital intelectual.

Processo misto 

O processo misto é uma mistura das duas estratégia e é um dos mais eficazes. Ele trata das duas estratégias e dá oportunidade tanto aos colaboradores internos quanto aos candidatos externos. 

Há vantagens em todas essas abordagens. Qual é melhor? Não há resposta única, uma vez que isso depende da vaga, da empresa e do trabalho do recrutador.  

Como funciona o recrutamento online?

O recrutamento e seleção online é uma das técnicas mais populares atualmente. A internet permite que qualquer empresa reduza as despesas com R&S e agilize o trabalho do RH.

As plataformas dedicadas a isso, frequentemente, oferecem cadastro de vagas e de currículos. Assim, os dois lados interessados estão presentes no mesmo ambiente virtual. Muitos sistemas fazem o “match” de perfis, outros só servem como classificados.

O primeiro caso é mais interessante para o RH, é claro. A inteligência artificial tem muito a ajudar em recrutamento de pessoas. Um bom tempo é poupado nas primeiras etapas, dando mais tempo para o recrutador explorar as últimas fases do processo seletivo.

Além da combinação entre perfis, a I.A. pode permitir a aplicação de testes de aptidões ou conhecimentos. Quando esses aspectos já são determinantes para a vaga, nada melhor do que incluir os testes na triagem.

O recrutamento online só traz uma desvantagem em situações como a de vagas de atendimento ao público. Normalmente, observar como o candidato se porta é importante para a avaliação. Contudo, é possível manter a entrevista presencial e fazer todos os outros passos a distância. Se o RH achar válido, chamadas de vídeo também resolvem a questão.

Quais são as melhores técnicas de recrutamento e seleção?

Chegou a hora das dicas! Veja algumas técnicas de seleção que ajudam o RH a escolher os profissionais mais assertivamente.

Recrutamento

O RH possui diversas opções para encontrar profissionais que estejam alinhados com as necessidades dos serviços da empresa. Além disso, essas diferentes alternativas de recrutamento podem ser utilizadas em conjunto para obter mais informações sobre o perfil do candidato.

Indicações

Há um grande poder nas indicações. Quando você já tem um funcionário em quem confia, bom no que faz, e que igualmente confia em outro colega, é mais provável que o indicado seja adequado. 

Isso não quer dizer que haverá uma contratação direta ou que você vai pegar mais leve. Quer dizer que as primeiras fases de divulgação e triagem, que ocupam bastante tempo, talvez não sejam necessárias. O restante do processo será igual, mas já é uma grande vantagem, não é?

LinkedIn

O LinkedIn é uma rede social voltada para o mundo profissional. Além disso, também é um banco de vagas, só que com alguns benefícios em relação aos outros. O próprio site filtra as candidaturas por habilidades, por exemplo.

Sites de recrutamento

Além do LinkedIn, existem outras plataformas com softwares focados em recrutamento de forma mais automatizada para facilitar o processo. Alguns exemplos são:

Seleção

A próxima etapa após o recrutamento é a seleção. É necessário que o RH escolha entre todos os candidatos selecionados, quais serão os novos funcionários da empresa. Para isso, também existem diferentes formas, como:

Testes

Seja para verificar o nível de habilidade do candidato ou para entender sua postura comportamental, não há nada melhor que testes. No recrutamento online, você encontrará várias opções para aplicar. 

Mas fique atento aos testes psicológicos: tenha certeza de que as perguntas indicam realmente o que é relevante para a empresa.

Dinâmicas de grupo

As dinâmicas já são bem conhecidas, por vezes temidas, pelos candidatos. Elas trazem insights muito valiosos sobre trabalho em equipe, bem como permite a análise comportamental

Contudo, não se esqueça de respeitar a individualidade de cada um — não penalize nem considere práticas que não fazem diferença no cotidiano corporativo, mesmo que elas pareçam singulares para você, pessoalmente. 

E depois da contratação?

Quando o processo seletivo acaba, ainda há trabalho a fazer! Além de dar um retorno aos candidatos que não conseguiram a vaga, é importante manter indicadores de desempenho para monitoramento.

Registre dados como tempo para contratar, gastos com o processo, funil de seleção, turnover, número de candidaturas recebidas etc. Assim, o próximo recrutamento e seleção será aprimorado e terá taxas ainda maiores de sucesso.

Curtiu o conteúdo? Deseja ler mais conteúdos ricos como este? Então dê uma olhada nas categorias do nosso blog!

Gostou? Compartilhe!

Por: Fernanda Rodrigues

Analista de Marketing de Conteúdo com formação em linguística e especialização em comunicação digital. Amante de marketing, negócios e tecnologia.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.