Atentar-se a qualidade de vida no trabalho é fundamental para que tudo funcione bem na empresa. A saúde mental dos funcionários é o pilar do sucesso de qualquer negócio e cada vez mais as marcas estão percebendo isso. 

Segundo especialistas do Wellness Orbit, colocar a saúde mental dos funcionários como prioridade diminui a chance de colaboradores desmotivados e com resultados desagradáveis no ambiente de trabalho. 

Nesse sentido, proporcionar uma rotina saudável e agradável para o funcionário é a garantia de que as empresas entreguem melhores serviços para os seus clientes, uma vez que o bem-estar do colaborador é a chave para a produtividade nas empresas. 

Além disso, proporcionar um dia a dia confortável para o colaborador é uma maneira dos gestores contribuírem para que as taxas de Síndrome de Burnout diminuam no país. Vale lembrar que dados de 2021 destacam que 78% dos funcionários brasileiros sofrem com esse problema. 

No entanto, garantir a realização profissional e pessoal de um indivíduo não é só focar em benefícios voltados para a saúde mental. Evidentemente, isso é fundamental, mas é essencial prestar atenção em outras dimensões do bem-estar humano para que a sua empresa realmente consiga proporcionar uma boa qualidade de vida no trabalho

Contribuir para o bem-estar dos funcionários proporciona benefícios para a empresa e para o colaborador. Dessa forma, ambos ganham e de quebra conseguem melhores resultados para os serviços prestados. 

Mas, para você entender melhor qual a importância de melhorar a qualidade de vida no trabalho dentro de uma empresa, você precisa saber que saúde está relacionada a uma visão plena do ser humano. 

Ou seja, aspectos sociais, físicos, mentais, ambientais e financeiros também entram nas dimensões do bem-estar

Quer entender melhor sobre esse tema e aprender como um colaborador saudável pode mudar a realidade de uma empresa? Neste post vamos explicar os principais pilares do equilíbrio da vida baseado nas 7 dimensões do bem-estar.

Qualidade de vida no trabalho: o que abrange? 

A qualidade de vida no trabalho considera todos os aspectos humanos, como corpo, hábitos, psicológico e muito mais. 

Na verdade, a saúde é um direito de todos. Assim, as empresas que estão focando em oferecer benefícios corporativos e flexíveis para a sua equipe, estão garantindo que todos tenham acesso a um tratamento mais humanizado e digno. 

Além disso, estão contribuindo também para que bons funcionários se interessem pela empresa, o que reverbera em resultados positivos à longo prazo. 

Antes de tudo, para você saber se uma empresa está realmente investindo na qualidade de vida no trabalho, você precisa conferir se algumas dimensões do bem-estar dos colaboradores estão sendo seguidas. São elas: 

Saúde Física

Em termos mais gerais, o bem-estar corresponde à dimensão que as pessoas mais se preocupam. Uma boa saúde é aquela que representa um corpo em funcionamento pleno, livre de doenças e com bons nutrientes, por exemplo. 

Como a empresa pode promover a saúde física dos colaboradores? Uma ótima maneira é oferecer planos de saúde, odontológicos, parcerias com academias, entre outros. 

Simples ações possuem grande impacto na percepção do colaborador. 

Saúde Mental

Trata-se basicamente do sinônimo de qualidade de vida emocional. Quando um indivíduo está mentalmente saudável, ele consegue encontrar um equilíbrio entre emoções conflitantes e positivas, sabendo lidar com situações adversas que podem acontecer. 

Para oferecer bons benefícios no que diz respeito à saúde mental do funcionário, você pode desenvolver parcerias com clínicas psicológicas e descontos em consultas com psiquiatras, como também pode realizar eventos de relaxamento na rotina de trabalho. 

De acordo com dados da Universidade de Warwivk, no Reino Unido, funcionários que estão saudáveis mentalmente se tornam 12% mais produtivos. Ou seja, investir em programas voltados à terapia para os funcionários é um investimento que certamente trará um retorno positivo para a empresa. 

Saúde Social 

A saúde social diz respeito à manutenção de boas relações com os principais grupos sociais, como amigos, familiares e colegas de trabalho. 

Trabalhar esse ponto nas empresas requer um esforço coletivo. Por isso, realizar eventos quinzenais, comemorar datas especiais e fazer dinâmicas entre setores é uma maneira de garantir a qualidade de vida no trabalho

Além disso, é importante que os colaboradores sejam motivados a ter uma vida equilibrada. Em outras palavras, é fundamental que o ambiente de trabalho proporcione encontros sociais agradáveis e edificantes, mas o funcionário também deve tirar um tempo para realizar tarefas relaxantes em seu tempo de folga.

Dessa maneira, visitar amigos e familiares, assistir filmes e realizar atividades que proporcionem boas práticas sociais é essencial para o bom funcionamento da saúde do trabalhador. 

Saúde Financeira

A saúde financeira influencia tudo ao nosso redor. Ela diz respeito às necessidades humanas que dependem de um orçamento para serem atendidas. Um mau uso monetário pode trazer muitos problemas para os indivíduos, por isso é preciso que ela esteja em dia. 

Uma boa maneira de auxiliar os funcionários a terem boa saúde financeira é oferecer benefícios corporativos, como vale-refeição, alimentação, entre outros. 

Saúde Intelectual  

A saúde intelectual é desenvolvida por meio de atividades culturais, exercício da criatividade e muito mais. Ela pode ser estimulada por meio de idas ao teatro, leitura de livros, cursos, entre outros. 

Uma boa sugestão para a garantia de qualidade de vida no trabalho é o fornecimento de vale-cultura, que pode ser utilizado nos mais variados locais e representa um benefício atrativo para os funcionários. 

Saúde Ocupacional

A medicina do trabalho diz respeito ao ambiente de trabalho. 

Nesse sentido, um indivíduo está saudável quando ele é elogiado no trabalho ou muda de cargo para uma posição mais vantajosa. 

Resumidamente, refere-se a quando o trabalhador está satisfeito com a sua posição como funcionário. 

Assim, uma boa maneira de comemorar as conquistas dos colaboradores e de quebra celebrar bons resultados na empresa é oferecer-lhes cartões presente quando eles forem promovidos ou realizarem um bom trabalho. 

Saúde Espiritual 

A saúde espiritual diz respeito à liberdade para expressão de fé e de costumes religiosos, por exemplo. 

Em linhas gerais, saúde espiritual corresponde a um ambiente diverso, tolerante e seguro, onde os funcionários têm a liberdade de expressar seus costumes, religiões e afins de maneira segura e acolhedora. 

Para trabalhar um ambiente diverso, livre e que respeite todas as práticas religiosas, os gestores podem traçar um planejamento anual com palestras, oficinas e rodas de conversa que abranjam esses temas. 

Assim, todo mundo vai se sentir acolhido, o que aumentará a qualidade de vida no trabalho

O que fazer para estimular o bem-estar no trabalho? 

Agora que você já sabe a importância da qualidade de vida no trabalho e quais os principais cuidados para promover o bem-estar e a saúde do trabalhador em suas diferentes esferas, vamos a algumas ações adicionais que não podem faltar no seu ambiente organizacional:

Opte pela flexibilidade

Graças à popularização do home office, agora é plenamente possível adotar horários e jornadas mais adaptáveis nas empresas. Basta implementar uma boa política de atuação remota e um sistema eficiente para organizar as escalas. 

Com esse tipo de flexibilidade, a qualidade de vida no trabalho é estimulada. Afinal, isso proporciona um melhor equilíbrio entre a vida pessoal e profissional dos colaboradores, diminui os estresses dos deslocamentos e ainda melhora a performance e o engajamento do time. 

Ofereça um espaço psicologicamente seguro

Como você pôde acompanhar anteriormente, o bem-estar no trabalho está diretamente ligado à saúde mental dos profissionais. Caso ela esteja debilitada, diversas são as consequências negativas para a equipe. 

Para evitar males como a ansiedade, estresse, depressão e até burnout (que explicaremos adiante), é preciso ir além da criação de um ambiente positivo, trazer uma maior segurança ao colaborador, um espaço onde ele se sinta engajado e por consequência estimulado a optar por comportamentos mais saudáveis. Políticas de assistência e aconselhamento também são fundamentais para ter um espaço psicologicamente seguro. 

Incentive o equilíbrio entre vida profissional e pessoal

Devido à flexibilidade é possível estimular o colaborador a construir uma rotina que seja funcional em seu dia a dia, ou seja, onde ele consiga cuidar de si, do trabalho e dos familiares. 

Este fluxo, quando estimulado, pode ser um diferencial para o desenvolvimento  da qualidade de vida no trabalho. Isso significa que não basta a empresa adaptar-se à flexibilidade, mas sim incentivá-la para que ela se torne real e que seja respeitada.

 As pessoas, muitas vezes, têm dificuldades para lidar com a vida profissional ao mesmo tempo em que cuidam de seus afazeres, hobbies e entes queridos. Isso ocorre pelo senso de cobrança que permanece após o fim das jornadas profissionais. É importante mostrar para o colaborador como uma rotina organizada pode conciliar todas as áreas de sua vida, sem que ele precise continuar se cobrando de forma não saudável. 

Adote a cultura de feedbacks

Reconhecer as pessoas pelos seus esforços e pelo trabalho bem feito é algo que eleva sua autoestima e engajamento. Além disso, quando há jogo de cintura para fazer críticas construtivas, também há um senso de valorização do seu crescimento profissional.

Diante disso, ter uma sólida cultura de feedback também pode contribuir para a qualidade de vida no trabalho. Trata-se de uma ação que não é complexa de implementar, mas que deve fazer parte da rotina da organização. Esta cultura consegue viabilizar um maior prazer ao colaborador dentro do seu desenvolvimento, o que faz com que ele se sinta melhor e renda mais para a empresa.

Burnout: a doença do trabalho 

A síndrome de burnout é um distúrbio psíquico que compromete a saúde mental do trabalhador. Ela foi descrita em 1974 pelo médico estadunidense Freudenberger. Contudo, foi só na atualidade que a condição passou a ocupar o centro das discussões. 

Também chamada de síndrome do esgotamento profissional, a doença é favorecida pela pressão, pelo cansaço e pela falta de segurança psicológica no trabalho

Como todos sabem, o mercado nunca foi tão dinâmico, competitivo e exigente quanto nos dias de hoje. Isso significa que, sem ações específicas para resguardar o bem-estar mental dos colaboradores, as organizações ficam cada vez mais sujeitas ao problema. 

Não por acaso, o burnout é considerado uma doença ocupacional desde 1º de janeiro de 2022. Isso aconteceu depois que a síndrome foi incluída na Classificação Internacional de Doenças (CID) pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Ou seja, quem sofre com esse transtorno agora tem acesso aos mesmos direitos trabalhistas e previdenciários já garantidos às demais patologias associadas à saúde e segurança no trabalho

Em geral, as pessoas acometidas sofrem com estresse crônico e excesso de tensão emocional. Essas condições estão diretamente associadas ao desgaste emocional, físico e psicológico gerados pelo emprego. 

Como identificar o burnout em colaboradores? 

Para entender como identificar burnout, tenha em mente que o esgotamento emocional e físico gera outros distúrbios associados à saúde mental no trabalho. Eles motivam comportamentos negativos, como: 

  • Atitudes agressivas;
  • Tendência ao isolamento;
  • Aumento das ausências no trabalho;
  • Irritabilidade excessiva;
  • Alterações bruscas no humor;
  • Depressão e ansiedade;
  • Autoestima baixa;
  • Excesso de pessimismo;
  • Perda de memória;
  • Problemas de concentração. 

Além desses sintomas, também existem manifestações físicas. Geralmente, elas incluem enxaqueca, sudorese, dores de cabeça, aumento na pressão, palpitações, crises de asma, insônia, dores musculares e alterações gastrointestinais. 

Como você pôde ver, cabe às empresas e seus gestores promoverem a qualidade de vida no trabalho para evitar esse tipo de condição. Entretanto, também é fundamental saber como agir caso algum colaborador seja diagnosticado com a doença.

Nessas situações, é fundamental procurar um psiquiatra ou um psicoterapeuta. Sua função é prestar atendimentos psicológicos. Dependendo do caso, medicamentos antidepressivos também podem ser necessários. 

Quais são as estratégias adotadas para melhorar a qualidade de vida no trabalho?  

Neste post explicamos quais são as 7 dimensões do bem-estar, importante alinhar quais são as estratégias que as empresas podem adotar para melhorar a qualidade de vida no trabalho

Proporcionar rotinas adequadas, com o fornecimento de equipamentos de qualidade, e horários flexíveis são uma excelente forma de mostrar que as empresas estão preocupadas com o bem-estar dos seus funcionários. 

Além disso, algumas sessões de terapia mensalmente podem fazer muito bem para os colaboradores. 

Por fim, trabalhar a 8° dimensão pode ser uma garantia de sucesso entre os funcionários. O iFood Benefícios fornece vale-alimentação e/ou refeição para as equipes, além de contar com um suporte personalizado e as principais facilidades do mercado para empresas.

Com ele, a empresa pode se cadastrar no Programa de Alimentação do Trabalhador e desfrutar de todas as vantagens de ser uma parceira do iFood. Clique aqui para saber mais!

Gostou? Compartilhe!

Por: Flávia Padilha

Psicóloga e especializada no Canadá em mercado e negócios, Flávia atuou por 8 anos na área de RH em treinamento e desenvolvimento de empresas. Na equipe iFood, trabalha com suporte psicoterapêutico, treinamentos, palestras sobre saúde mental e emocional e orientações de gestão. Acredita que bem-estar e saúde emocional são um dos alicerces do ser humano para alavancar suas histórias de sucesso, tem o desejo de sempre ajudar os colaboradores a encontrar seus potenciais e o equilíbrio. Flávia é mãe e, nas horas vagas, dançarina, amante de exercícios ao ar livre e boa ouvinte de histórias e pessoas.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.