Uma empresa é feita por indivíduos, e é a partir do crescimento de cada um desses indivíduos que se alcança o sucesso de uma organização. Se por um lado carreira é a sequência de trabalhos de um indivíduo, o planejamento de carreira é justamente o processo de estabelecer objetivos profissionais e capacitação individual que o permita alcançar os trabalhos desejados. 

Ter consciência do que se deseja para uma companhia ou para a própria carreira no curto, médio e longo prazo e saber quais são as ferramentas para atingir essas metas é a chave para uma estratégia de sucesso. 

Assim, ganham pontos as empresas – e líderes – que estimulam o crescimento pessoal de seus colaboradores. E é nesse momento que entra em cena conceitos importantes como, gestão, planejamento e plano de carreira.

Quer entender melhor? Então continue a leitura!

O que é plano de carreira?

O plano de carreira guia o caminho profissional dos colaboradores a longo prazo.

Um plano de carreira se define pelos caminhos e estratégias existentes para que os funcionários possam percorrer dentro de uma organização. Dessa forma, um bom plano de carreira vai muito além de promover ou ser promovido, pois trata-se de galgar degraus nas organizações, adquirindo respeito e influência no processo. 

Assim, empresas que tomam a frente, criando bons e transparentes planos de carreira, acabam chamando a atenção dos profissionais mais promissores. Consequentemente, se tornam organizações mais dinâmicas e eficientes.

Isso porque, é dentro dessas organizações que um indivíduo comprometido com o crescimento profissional terá espaço para desenvolver todo seu potencial.

Portanto, a principal vantagem da gestão de carreira é justamente reter os melhores talentos. Pois, o chamado turnover, que é a quantidade de contratações e dispensas de empregados, é sensivelmente reduzido quando as empresas oferecem a perspectiva de crescimento profissional atrativa.

Gestão de carreira individual

Individualmente, uma gestão de carreira eficaz começa com o estabelecimento de metas. E algumas perguntas que podem ajudar na definição delas, são:

  1. Qual é o meu próximo objetivo profissional? 
  2. Qual é o meu objetivo máximo
  3. Qual o prazo para alcançar esse objetivo?

A partir das respostas a essas perguntas, será possível estabelecer quais os próximos passos que devem ser dados para atingir suas metas como profissional. Que podem ser desde a entrada em um curso de MBA, até a mudança de departamento dentro da empresa. Tudo isso será imprescindível para agregar mais conhecimento e experiência.

O aprimoramento leva ao crescimento profissional

Através de um plano de carreira estabelecido e objetivo, os profissionais saberão os pontos que necessitam de melhorias em seu trabalho.

Mesmo para os líderes que já têm algum tipo de especialização, o aprimoramento deve ser contínuo. Se dentro de uma organização há um determinado número de caminhos a percorrer, é fundamental saber escolher o que estudar para seguir este ou aquele caminho. 

Essas decisões só podem ser tomadas com muita informação. Ler revistas e livros sobre as características de cada função vai te permitir criar uma visão mais clara do que será estudado e, principalmente, se o conteúdo a ser aprendido se encaixa no perfil de cada profissional. 

Uma opção interessante para quem está comprometido em crescer profissionalmente é procurar empresas que cuidam especificamente da gestão de carreiras. 

Agências de headhunters, por exemplo, atuam principalmente na recolocação profissional, mas também na orientação para o desenvolvimento no mercado de trabalho. Um bom profissional de recursos humanos saberá estabelecer metas e acompanhar a evolução individual.

Conheça o plano de carreira de sua empresa

Conhecer a organização da empresa em que se trabalha e saber se o ambiente atual se encaixa nos planos também pesa muito. Se a empresa atual não permite o desenvolvimento, mudar de áreas é um passo muito importante. 

Além disso, não ter medo de mudar também faz parte do planejamento de carreira e muitas vezes é determinante para o crescimento individual. Por isso, estar atento para o que outras empresas estão oferecendo é muito importante. 

Se por um lado trocar de empresas com muita frequência pode não ser atraente para quem contrata, ficar estagnado também não é uma escolha certa.

Como criar um plano de carreira com transparência? 

É essencial que os gestores compartilhem e escutem seus colaboradores para a aplicação de um plano de carreira na empresa. 

Negócios que possuem planos de carreira também evitam uma das piores culturas empresariais: a supressão dos talentos pelos superiores. 

A atitude de profissionais mais graduados, que temem serem substituídos por subordinados mais competentes têm levado empresas à estagnação mundo afora. Ao estabelecer um planejamento eficiente para o crescimento de cada indivíduo, as empresas eliminam esse risco.

Mas, antes de mais nada, é imprescindível haver transparência das empresas no plano de carreiras. Um profissional terá muito mais dedicação ao saber exatamente quais são as possibilidades dentro da organização e o que é preciso para alçar uma nova etapa

Nesse sentido, a área de recursos humanos de cada empresa torna-se um dos principais fatores no sucesso de toda organização. 

Afinal, um quadro claro das possibilidades de cada profissional permite não só a retenção dos mais capacitados, mas também auxilia a administração da empresa a ter uma melhor visão organizacional, sabendo suas possibilidades e limites.

Pensando nisso, entenda melhor, abaixo, os diferentes tipos de carreira e como guiar os seus colaboradores para os melhores caminhos.

Os diferentes tipos de carreira

Começar de baixo, trabalhando duro, e aos poucos ir alçando novas posições na empresa até um dia quem sabe se tornar gerente, diretor ou mesmo CEO. Essa história é bem conhecida do público e há inúmeras biografias e até filmes sobre pessoas que viveram exatamente essa experiência profissional. 

Historicamente, as empresas sempre tiveram esse tipo de desenvolvimento profissional linear, partindo de cargos especializados até alçar posições de gerência e administração. 

Esse tipo de planejamento de carreira é bastante eficaz por um lado, pois sempre coloca como meta final cargos mais estratégicos, em que o profissional deixa de “pôr a mão na massa”. 

Mas, se a história acima é clássica no mercado de trabalho, a história daqueles que estão plenamente aptos a exercer novas funções, mas que se sentem frustrados por deixar de atuar na sua especialidade não é tão conhecida. 

De repente, aquela pessoa habituada a lidar com cálculos e materiais, que se mostrou um excelente profissional e foi premiado por isso com um cargo de liderança, está resolvendo questões de compras, contas e relatórios – nada daquilo que sempre lhe deu prazer no dia a dia da empresa.

Mas como, então, com guiar os colaboradores para o caminho certo?

Nos últimos anos, cresceu o número de pessoas que se sentiam insatisfeitas por crescerem profissionalmente, mas ao mesmo tempo serem obrigadas a deixar de praticar justamente os trabalhos que as levaram a uma posição mais alta. 

Então, antes de tudo, a empresa e seus gestores precisam ter sensibilidade para identificar como cada colaborador pode crescer e ajudar, indicando-lhes os caminhos.

Nesse cenário, há dois conceitos que podem orientar tanto empresas, como colaboradores: as opções de carreiras em Y ou W. Nelas, existe a possibilidade de continuar galgando novos estágios em uma empresa mesmo para quem continua exercendo posições mais especializadas. 

Para o indivíduo que planeja sua carreira, escolher organizações que aplicam um desses modelos é uma escolha difícil, porém necessária. Essa decisão deve ser tomada de acordo com as aptidões pessoais e com o objetivo final de cada profissional.

Como funciona a carreira em Y?

Nesse tipo de carreira, o profissional começa seu desenvolvimento exercendo funções práticas e especializadas. Em uma indústria, por exemplo, o indivíduo pode começar como estagiário de projetos. Em seguida ele passará a fazer parte de um time de projetistas plenos. 

Em algum ponto, essa pessoa passará a liderar grupos de projetos, ainda exercendo sua expertise técnico. Depois disso, surge a bifurcação: seguir atuando em cargos especializados ou passar a posições de gerência

É por ocorrer essa bifurcação que esse tipo de carreira tem o nome de Y.

Para quem prefere esse tipo de carreira, a mudança de perfil prático para perfil gerencial pode ser uma vantagem. A pessoa pode se sentir recompensada por passar a uma função menos extenuante fisicamente, por exemplo. 

Como funciona a carreira em W?

Assumir uma posição gerencial ou seguir se especializando. E se houvesse uma terceira opção? Foi para quem fez essa pergunta que nasceu a carreira em W. 

Nela, o profissional especializado eventualmente alcança um cargo mais gerencial, mas não abandona completamente sua especialidade. A pessoa passa a ter um perfil multifuncional, atuando em posições de comando, mas sem abandonar completamente sua especialidade.

Para quem planeja uma carreira em W, é preciso saber ser líder, além de ser técnico ao mesmo tempo. Trata-se de um modelo que demanda muito mais, com perfil flexível que nem sempre é possível alcançar. 

Para atuar de forma “multitarefa”, esse profissional precisa de muitas especialidades e de uma capacidade de visão organizacional mais ampla

Se por um lado os desafios desse tipo de carreira são muitos, por outro, a possibilidade de balancear conhecimento prático com gestão pode ser muito prazeroso e gratificante.

É preciso estar preparado para desafios e mudanças. 

Empresas que desejam se manter atuais e não perder espaço no mercado precisam de profissionais de todos os tipo. Afinal, sejam os que desejam se tornar líder ou os que possuem visão de especialistas, são importantíssimos para o desenvolvimento e crescimento da organização. 

Entretanto, obter o preparo para lidar com novos desafios profissionais é essencial. Em uma empresa com um bom plano de carreira, haverá sinais claros de que é tempo de estudar novos temas, por exemplo quando for necessário sair da área técnica e entrar na área administrativa. 

Ao profissional cabe abraçar os novos desafios e procurar estar sempre atualizado para, quando a oportunidade aparecer, estar apto a exercer essa função.

E então, entendeu mais sobre os tipos de carreira e a importância da criação e execução de um bom planejamento de carreira para o crescimento empresarial? 

Acompanhe nossos conteúdo e entenda mais sobre. E se continuou com alguma dúvida deixe aqui nos comentários! 

Gostou? Compartilhe!

Por: Helenoá Trevisan

Formação em Linguística com especializações em comunicação digital. Entusiasta da aprendizagem interdisciplinar e amante da união entre jogos, animação e tecnologia em ferramentas facilitadoras para a vida corporativa.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.