Muitas empresas já entenderam que os colaboradores são a chave para grandes resultados. Por isso, uma pesquisa de satisfação é fundamental para enxergar maneiras de engajar os funcionários com o sucesso da sua organização.

Para entender como aplicar esta estratégia, continue a leitura! No blog de hoje, vamos explicar o que é uma pesquisa de satisfação e qual o momento ideal para aplicá-la!

O que é uma pesquisa de satisfação interna?

Em 1912, Frederick W. Taylor embasou ideias que influenciaram o conceito de clima organizacional. Ele indicou que o papel do gerente seria o de estudar o caráter, a natureza e o desempenho de cada trabalhador. Com o objetivo de descobrir suas limitações e também as possibilidades de desenvolvimento através de treinamentos.

E foi assim que surgiu a pesquisa de satisfação interna: como uma maneira de obter dados quantitativos e qualitativos sobre esta relação dos colaboradores com a empresa. 

Isto para conseguir medir fatores como compromisso com a qualidade, lealdade, clima e cultura organizacional, eficiência dos processos e pontos de melhoria que podem impactar no desenvolvimento da empresa.

Como fazer essa pesquisa?

Em algum momento você já recebeu um questionário do tipo “Em uma escala de 0 a 10, qual a probabilidade de você recomendar nossa empresa?”, certo? 

O nome desta estratégia é NPS e ela é uma das maneiras mais conhecidas para fazer uma pesquisa de satisfação externa. Um desdobramento desta estratégia é o eNPS, que é a mesma pesquisa, porém voltada para os colaboradores.

Neste sentido, os funcionários devem responder uma série de perguntas de satisfação sobre pontos como equipamentos, salário, benefícios, liderança e comunicação não violenta dentro da empresa.

Assim, é possível garantir insights da visão organizacional a partir da perspectiva dos colaboradores. O que vai indicar o que pode ser melhorado dentro da empresa para aumentar a produtividade.

Quando devo aplicar?

No geral, o ideal é que a pesquisa de satisfação seja aplicada pelo menos uma vez por ano. Dessa forma, será possível prevenir possíveis problemas e garantir a harmonia no ambiente de trabalho.

No entanto, existem indícios que podem indicar que talvez seja a hora de antecipar o calendário. Confira alguns sinais para ficar atento:

  • alto índice de faltas e atrasos;
  • crescimento do número de demissões;
  • aumento dos afastamentos por licença médica;
  • erros constantes nos processos de produção;
  • aumento dos conflitos organizacionais;
  • reclamações por parte dos clientes.

Quais perguntas devo fazer?

Durante o período de pandemia e de trabalho remoto, a importância da qualidade de vida dos colaboradores têm estado no centro das atenções. Dessa forma, este é um ponto que deve ser trabalhado com atenção.

Para te ajudar nesta tarefa, separamos algumas perguntas que você pode incorporar na pesquisa de satisfação da sua empresa para entender melhor o sentimento dos colaboradores neste momento:

  • Você tem tido dificuldades em trabalhar em casa?
  • A sua produtividade no home office é similar a de quando estava no escritório?
  • Se você fosse o CEO, o que mudaria na empresa para aumentar o bem-estar dos funcionários?
  • Qual sua sensação em relação ao clima da empresa?
  • Você sente que há suporte para suas tarefas do dia a dia?
  • Você se sente conectado o suficiente com seus companheiros de equipe?
  • Você está feliz no trabalho?

Vantagens de aplicar pesquisas no seu negócio

Aplicar pesquisas é essencial para conhecer o clima organizacional de uma empresa e entender quais são os pontos que podem ser melhorados. Para então tornar o ambiente de trabalho mais saudável para todos.

Mas, estes não são os únicos benefícios de aplicar esta estratégia. Confira outras vantagens de uma pesquisa de satisfação:

Produtividade

O aumento da produtividade é um dos maiores retornos da pesquisa de satisfação. Isto porque, dessa forma, é possível identificar pequenos atritos antes que eles se tornem um problema e agir rapidamente sobre isto.

Além disso, as pesquisas são uma forma de valorizar a experiência do colaborador. O que, por  si só,  já contribui para o aumento da produtividade.

Rotatividade

Pessoas estimuladas e valorizadas tendem a permanecer no mesmo trabalho. É o que diz uma pesquisa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE). Que constatou que a taxa de rotatividade entre “As 150 Melhores Empresas Para Trabalhar no Brasil” em 2019 era de apenas 7%.

O resultado é também um impacto direto no rendimento da empresa. Já que ela não precisará arcar com os custos da seleção de novos funcionários e manterá o conhecimento adquirido pelos trabalhadores que já fazem parte do time.

Retorno financeiro

Colaboradores felizes e autoconfiantes chegam a ser até 12% mais produtivos, segundo levantamento da Universidade de Warwick.

Desta forma, não é difícil imaginar que isto gera um grande retorno financeiro para as organizações. Isto ainda somado à redução de custos com queda da rotatividade, como já vimos.

Clima organizacional 

Outra contribuição da aplicação de uma pesquisa de satisfação é a possibilidade de ter uma visão geral do clima organizacional e medir o alinhamento dos colaboradores com a missão e os valores da empresa.

Principalmente na mudança do regime de trabalho para os modelos home office ou híbrido, este recurso pode ser um grande aliado para identificar como os trabalhadores têm se adaptado — ou não — a esta nova cultura.

Dicas para aperfeiçoar a sua pesquisa

No entanto, para obter resultados realmente significativos, é preciso elaborar uma pesquisa de satisfação de forma estratégica. Confira algumas dicas de como fazer isto:

Tenha um objetivo de melhoria

O primeiro ponto para realizar uma pesquisa de satisfação eficiente é definir um objetivo de melhoria. Ou seja, o foco da pesquisa deve estar direcionado para aprimorar os pontos que serão avaliados no questionário.

Alinhe a importância dela com os seus funcionários

Outro fator importante é alinhar a importância da pesquisa e da participação com os funcionários. Isto é fundamental para que as respostas sejam, de fato, um reflexo do clima organizacional.

Por isso, uma dica é explicar o motivo da pesquisa e criar a expectativa de mudanças a partir dos feedbacks obtidos.

Faça as perguntas certas

Por fim, é preciso fazer as perguntas certas para garantir insights assertivos. Dessa forma, é importante que as questões sejam diretas e objetivas.

Se objetivo for medir a satisfação do colaborador sobre determinado assunto específico, por exemplo, as opções de resposta podem ser:

  • muito satisfeito;
  • satisfeito;
  • neutro;
  • insatisfeito;
  • muito insatisfeito.

Assim, é possível identificar de forma clara como os trabalhadores se sentem sobre o assunto em questão. Em seguida, pode-se pedir para que ele explique os motivos da sua resposta. O que trará um insight mais subjetivo e pessoal.

Dica: quer garantir funcionários mais satisfeitos para a sua próxima pesquisa de clima? Então, conheça o iFood Benefícios e valorize os seus colaboradores com o vale-refeição e vale-alimentação do iFood!

Gostou? Compartilhe!

Por: iFood Benefícios

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.