Você sabe o que é liderança situacional ou qual é o seu estilo de liderança? Hoje em dia, para ser considerado um bom líder, é necessário capacidade de adaptação sobre diversos cenários, ambientes e pessoas. 

Para exemplificar melhor, um bom caso recente em que essa habilidade teve que ser colocada em prática, foi com a chegada da pandemia e consequentemente do novo modelo de trabalho remoto.

Saber gerenciar as equipes para lidar com todas as situações e melhorar os resultados é essencial, Por isso, você precisa conhecer bem os estilos de liderança situacional e os tipos de liderados. Assim, você terá uma gestão estratégica que impacta diretamente no crescimento da sua empresa

O que é liderança situacional?

Esse é um modelo de gestão de equipes desenvolvido por Paul Hersey e Ken Blanchard em 1969. Nela, a liderança situacional define os líderes conforme a adaptação deles a contextos profissionais. Ou seja, o estilo de liderança dele é baseado na reação e ação às mudanças ou comportamento das equipes.

Isso significa que a liderança positiva não tem apenas um caminho, até porque os liderados possuem diversos tipos de comportamentos. A forma que você se comunica com um, pode não funcionar com o outro. Por isso, é preciso entender qual o nível de maturidade profissional de cada um deles. 

Mas, o importante na liderança situacional, é que não há um estilo melhor do que o outro. Tudo depende de como o gestor irá ser flexível e adaptável aos cenários, e como lidará com seus subordinados.

Os estilos de liderança situacional

Agora que explicamos  o que é liderança situacional, chegou o momento de saber quais são os estilos de líderes. Eles são baseados em 4 estilos de liderança situacional, e mostram quais são as melhores reações e ações nos diversos cenários. Isso influencia diretamente a relação de trabalho, tornando-o mais positivo e produtivo. 

Direção

Tomar decisões faz parte do trabalho de um líder. Por isso, a gestão de direcionamento é importante. Nela, você deve ensinar para a equipe como, porquê, quando e o que precisa ou não ser feito.

Dando a direção para a realização das tarefas, o líder está organizando suas equipes e guiando para um caminho de sucesso. É preciso se envolver e supervisionar de perto o trabalho dos seus subordinados. Assim, caso aconteça algum erro ou surja alguma dúvida, você rapidamente saberá o que fazer.

Orientação

Diferente do estilo Direção, neste aqui, o líder deverá gerar motivação entre seus subordinados. E os principais meios de realizar isso é através de estímulos para a execução das tarefas, se manter aberto para sugestões e ideias, além de fazer uma supervisão constante.

Mas, mesmo assim, o líder precisa se colocar em uma posição de respeito, demonstrando que a última palavra é a dele. Por isso, o melhor a se fazer é conversar com a equipe, escutá-la e argumentar sobre a decisão final. 

Apoio

Neste estilo de liderança situacional, o líder irá dar apoio para que seus liderados tenham maior motivação e energia. Isso é feito através de feedbacks, elogios, soluções de dúvidas e pequenas instruções.

Assim, você terá uma equipe confiante, que consequentemente se sentirá mais preparada e motivada para desenvolver suas tarefas. Essa é a principal maneira de enriquecer os processos colaborativos de forma eficiente.

Delegação

Esse estilo é aquele em que o líder possui a menor tomada de decisão e envolvimento com as tarefas ou colaboradores. Ao delegar, você irá deixar a responsabilidade inteiramente aos liderados.

E com essa ação, eles conseguem ser independentes e tomar decisões próprias sobre suas tarefas. Dessa forma, os colaboradores se desenvolvem profissionalmente, e o líder não fica sobrecarregado para decidir qualquer micro etapa.

Quão maduros são os colaboradores?

É através dos graus de maturidade dos colaboradores que os líderes conseguirão descobrir a maneira de agir com cada um. Isso é feito por meio da análise do nível de empenho, autonomia, capacidade de assumir responsabilidades e de tomar decisões.

Os parâmetros usados para essa análise, são: 

1 . Escala de maturidade no trabalho:

  • experiência anterior;
  • conhecimento do trabalho;
  • compreensão das exigências do trabalho.

2 . Escala de maturidade psicológica:

  • disposição para assumir responsabilidades;
  • motivação e realização;
  • empenho.

Quando são reconhecidas essas informações, fica mais fácil estimular a evolução profissional dos liderados. Isso porque, a aplicação da liderança situacional evita que os funcionários se mantenham inertes psicologicamente e profissionalmente. Assim, eles conseguem crescer, gerando bons resultados para a equipe e a empresa. 

E, assim como os estilos de liderança situacional, o nível de maturidade dos colaboradores também é representado em 4 definições. Elas são: 

  • Baixa competência e baixo empenho: quando o colaborador não possui habilidades, conhecimento técnico, interesse na realização de tarefas ou responsabilidade profissional; 
  • Alguma competência e algum empenho: o funcionário não tem muita experiência na função, mas demonstra entusiasmo para aprender e se desenvolver; 
  • Média a alta competência e algum empenho: aqui o liderado possui conhecimento, mas está desmotivado, seja com a responsabilidade dada ou até com a própria tarefa; 
  • Alta competência e alto empenho: esse é o colaborador ideal, em que ele apresenta habilidade e confiança para realizar sua função. 

A matriz da liderança situacional

Ao entender o que é liderança situacional, ver os estilos dos líderes e conhecer os níveis de maturidade dos colaboradores, é possível compreender que eles estão interligados. Ou seja, um líder deverá agir conforme o comportamento dos liderados para desenvolver uma gestão de equipes qualificada

Assim, os líderes devem agir conforme a matriz da liderança situacional, representada como: 

  • Baixa competência e baixo empenho = estilo Direção; 
  • Alguma competência e algum empenho = estilo Orientação; 
  • Média a alta competência e algum empenho = estilo Apoio; 
  • Alta competência e alto empenho = estilo Delegação. 

Fonte: Ergon Rh

Por isso, o líder precisa conhecer as individualidades da equipe e ajustar seu estilo para que as necessidades do colaborador sejam atendidas. Além disso, ele deve visar o desenvolvimento deles, para que assim consigam manter uma evolução no grau de maturidade. 

Ao entender o que é liderança situacional, você compreende que oferecer as melhores vantagens aos seus liderados também é uma forma de mantê-los motivados. 

Além de apoiar no desenvolvimento das lideranças para elas conseguirem trazer essa motivação como parte do dia-a-dia, o iFood também possui benefícios que geral sorrisos diariamente, melhorando a vida profissional dos seus funcionários.Quer conhecê-los e implementá-los na sua empresa? Então clique aqui

Gostou? Compartilhe!

Por: Larissa Trento Oliveira

Formada em Administração pela Universidade Federal do Espírito Santo, Larissa é BP no iFood há dois anos e tem paixão por trazer impacto diretamente no desenvolvimento de pessoas com sua profissão e, como consequência, agregar valor para o business. Mãe de pet de carteirinha, é amante de corrida e exercícios físicos, principalmente quando envolve passear com o Zeca, seu border collie. Larissa já atuou como BP do time iFood Colômbia, México, iFood Shop, Marketing e agora atua como ponto focal do RH para crescimento do iFood Benefícios.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.