O termo microlearning pode ser traduzido como “microaprendizado”. Trata-se de uma técnica de aprendizagem de baixo custo, fácil aplicação e alto rendimento que pode ser utilizada para investir na capacitação dos colaboradores de uma empresa.

Neste sentido, esta é uma grande oportunidade para desenvolver talentos na organização, o que pode se tornar uma vantagem competitiva e uma maneira de se destacar no mercado.

Quer implementar esta metodologia na sua empresa? Então continue a leitura! No artigo de hoje, vamos falar sobre a aplicação do microlearning no mundo corporativo.

O que se entende por microlearning?

O microlearning é uma técnica de aprendizagem e desenvolvimento que utiliza práticas rápidas, objetivas e de fácil acesso para ensinar conteúdos de alto valor e aprimorar competências e habilidades.

Para isso, a metodologia se baseia em conteúdos específicos de curta duração e simples de serem entendidos. Suas principais características são:

  • Materiais de 2 a 5 minutos;
  • Um objetivo principal de aprendizado;
  • Linguagem simples e compreensível;
  • Uso de tecnologias para transmitir conhecimento.

De maneira geral, o microlearning prioriza a qualidade do aprendizado, não a quantidade. São utilizadas pequenas doses de conhecimento que são mais fáceis de consumir e também mais fáceis de serem lembradas no futuro.

O método ideal para a atualidade

Nunca as pessoas tiveram tanto acesso à informação quanto hoje. Assim, cada vez se torna mais difícil manter a atenção plena em uma única coisa por longos períodos, já que novas informações surgem ao nosso redor a todo tempo.

Por isso, o microlearning tem ganhado destaque na otimização do processo de aprendizagem, principalmente nos meios corporativos.

Isto porque, no ambiente de trabalho, a técnica pode se adaptar à rotina dos profissionais, que nem sempre é compatível com o acesso a cursos e capacitações de longa duração.

O conceito está relacionado à ideia de “just-in-time”. Ou seja, um conhecimento disponível sob demanda no momento certo para ser consumido em tempo hábil.

A metodologia também pode ser aplicada a outro conceito muito atual: o Activity Based Working (ABW), que pode ser traduzido como “Trabalho Baseado em Atividades”. 

Este modelo reconhece que as pessoas realizam diferentes funções durante sua rotina de trabalho e, por isso, precisam de mais flexibilidade de ambientes e recursos para desenvolver estas tarefas com o máximo de eficiência.

Neste sentido, a metodologia do microlearning propõe um conhecimento que pode ser facilmente consumido de qualquer lugar. O que está alinhado ao novo modelo de trabalho baseado em equipes home office ou híbridas.

Como o microlearning pode ser usado no mundo corporativo?

Mesmo para empresas que mantêm o sistema presencial de trabalho, o microlearning tem se mostrado a melhor opção pois não exige muito tempo dos colaboradores. 

A metodologia é utilizada a partir de dinâmicas simples ou treinamentos curtos para sanar necessidades específicas. Geralmente, explorando recursos como a praticidade do mobile ou as técnicas de gamificação, que são baseadas no design de jogos.

No geral, o modelo pode ser empregado para conteúdos de:

  • Contextualização: quando há a necessidade de mostrar a visão geral sobre um assunto complexo para os colaboradores, mas eles não têm a necessidade de conhecer os detalhes específicos;
  • Conexão: para abordar assuntos de conhecimento geral, mas com a necessidade de detalhar um ponto específico sobre o tema;
  • Repositório de informações: como uma forma simples e rápida para o colaborador sanar dúvidas técnicas específicas.

É possível desenvolver soft skills com o microlearning?

Resumidamente, as soft skills são habilidades comportamentais e competências subjetivas relacionadas à maneira como o profissional executa suas tarefas e à sua qualidade de vida no trabalho. Elas estão relacionadas, por exemplo, à forma como você interage com os colegas ou como gerencia sua carga de trabalho. 

Normalmente, estas são capacidades difíceis de serem avaliadas e ainda mais difíceis de serem ensinadas. Afinal, isto implica uma mudança de hábitos e comportamentos. Mas a boa notícia é que é possível desenvolver soft skills com o microlearning.

No contexto da metodologia, o desenvolvimento dessas habilidades deve ser realizado da mesma forma como é feito o das hard skills, que são as aptidões técnicas. Ou seja, é preciso identificar os pontos de melhoria do colaborador e focar em um hábito ou comportamento por vez.

Para isso, seja eficaz e vá direto ao assunto, indique o ponto exato de mudança e como fazê-la. Além disso, usar estratégias de repetição espaçada podem reforçar o conhecimento e auxiliar o colaborador a reter e aplicar as informações.

Vantagens de aderir ao microlearning na sua empresa

A esta altura está claro que o microlearning pode facilitar o desenvolvimento de habilidades e competências dentro das organizações, certo?

A seguir, listamos algumas das principais vantagens de investir nesta metodologia:

Melhora o engajamento

O processo de aprendizagem do microlearning é curto. Por isso, uma de suas grandes vantagens é melhorar e manter o engajamento dos colaboradores  nos treinamentos.

Isto acontece principalmente porque como o conteúdo é passado em pequenos blocos de estudos, os profissionais se sentem menos impacientes ou cansados em relação aos cursos de longa duração.

Além disso, a metodologia também ajuda para que os resultados sejam aplicados e percebidos de forma mais rápida. O que contribui para manter as pessoas motivadas a seguir a trilha de aprendizado.

Otimiza o tempo

Quando bem aplicado, o microlearning pode otimizar o tempo dos colaboradores e gestores envolvidos no processo. 

Isto porque, com esta técnica, é possível absorver conhecimentos que geram grande impacto na produtividade, na eficiência e até mesmo na saúde mental dos funcionários sem que seja necessário ocupar o tempo das pessoas por horas para explicar sobre um mesmo assunto.

Facilidade de aplicação

Por fim, todo o material utilizado no processo de microlearning é fácil de ser produzido e aplicado, já que pode se basear em apresentações de slides, vídeos ou breves discussões sobre o conteúdo. 

Além disso, ao contrário dos cursos de longa duração, que tem a manutenção trabalhosa, otimizar os conteúdos de microlearning é ainda mais prático do que produzi-los, já que são materiais simples e facilmente editáveis.

Outra maneira de incentivar os colaboradores a se manterem sempre atualizados e em aprendizado constante é tornar a função mais atraente oferecendo benefícios corporativos.
Para isso, conheça o iFood Benefícios. O vale-alimentação e vale-refeição do iFood que pode revolucionar o conceito de alimentação na sua empresa!

Gostou? Compartilhe!

Por: Larissa Trento Oliveira

Formada em Administração pela Universidade Federal do Espírito Santo, Larissa é BP no iFood há dois anos e tem paixão por trazer impacto diretamente no desenvolvimento de pessoas com sua profissão e, como consequência, agregar valor para o business. Mãe de pet de carteirinha, é amante de corrida e exercícios físicos, principalmente quando envolve passear com o Zeca, seu border collie. Larissa já atuou como BP do time iFood Colômbia, México, iFood Shop, Marketing e agora atua como ponto focal do RH para crescimento do iFood Benefícios.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.