Um conhecido jargão do mundo corporativo diz que “aquilo que não pode ser medido não pode ser gerenciado”. Há muita verdade nesta afirmação, principalmente em uma época na qual dados são utilizados para as mais diversas funções. Com base nisso, utilizar indicadores de gestão se torna fundamental para o crescimento de qualquer empresa.

Identificar problemas, avaliar resultados e descobrir soluções são estratégias fundamentais para qualquer negócio, e você pode fazer isso com maior facilidade e segurança através da gestão dos indicadores de desempenho (ou KPI Key Performance Indicators) da sua empresa.

A realidade altamente competitiva do mercado atual exige que o seu negócio tenha mecanismos de gestão cada vez mais eficientes, que consigam maximizar a produtividade e minimizar os custos das suas operações.

Neste sentido, analisar o desempenho individualmente dos vários processos da sua empresa é indispensável para que a sua gestão seja eficiente em todos os segmentos e para tornar seus planejamentos mais alinhados. 

Os indicadores de gestão vão oferecer dados para que as suas tomadas de decisões sejam embasadas e precisas.

Neste post você vai conhecer quais são os principais indicadores de gestão para cada segmento de mercado, além de aprender a escolher os mais adequados para implementar corretamente em sua empresa. Confira!

O que são indicadores de desempenho?

Indicadores de desempenho, ou KPI, em inglês, são ferramentas utilizadas para medir o desempenho dos processos, setores e projetos da sua empresa e oferecer dados quantitativos e qualitativos para avaliação, detecção de problemas, correção de rotas, etc.

A partir das informações coletadas pelos indicadores de desempenho, é mais fácil realizar um alinhamento estratégico e colocar todos os colaboradores da sua empresa na mesma direção para um bom monitoramento de desempenho. 

Como escolher, implementar e gerenciar indicadores de gestão 

Escolha indicadores de acordo com o modelo de sua empresa.

Para melhores resultados, não basta saber o que são os indicadores, é preciso saber qual a importância de cada um para a sua empresa. Assim você pode escolher os indicadores mais relevantes para a sua atividade, alinhá-los às suas estratégias e acompanhá-los frequentemente.

Antes de selecionar os indicadores de gestão que serão implementados, é importante analisar atentamente o momento atual da sua empresa, assim será mais fácil detectar os indicadores mais adequados para os resultados que você deseja.

Não existe um número certo de indicadores, isso vai depender muito do tamanho e das atividades realizadas pela sua organização e, também dos objetivos que você quer alcançar. 

Um bom começo é definir entre 5 e 10 indicadores que sejam diretamente relacionados a seus objetivos e metas a serem alcançadas. Tais objetivos devem ser precisos e alcançáveis para seu projeto.

Deste modo, o fluxo de trabalho poderá ser acompanhado sem grandes dificuldades. Com o passar do tempo, indicadores poderão ser incluídos ou substituídos, para aumentar cada vez mais a competitividade e os resultados da sua empresa.

Principais tipos de indicadores de gestão

Existem diversos tipos de indicadores de gestão que podem ser implementados na sua empresa para melhor avaliar seus processos e resultados, veja os principais:

Capacidade

Mede a capacidade de resposta da empresa quanto ela ou um setor é capaz de entregar um produto/serviço/processo em um intervalo de tempo, junto de um cálculo estratégico que facilita o resultado do medidor.

Este indicador é fundamental para o cálculo de prazos de entrega, metas de vendas, objetivos organizacionais, produtividade em um projeto, etc.

Capacidade instalada

Está diretamente ligada à estrutura da empresa e sua capacidade máxima de atender a demanda do mercado. Ela mede até quanto uma empresa pode produzir segundo seus limites internos.

Entendendo e calculando a capacidade instalada de sua empresa, você pode otimizar a sua infraestrutura e tomar melhores decisões em relação ao crescimento sustentável e praticar medidas eficientes e controladas dentro da corporação.

Faturamento

Indica quanto a empresa gera em volume de vendas, considerando a receita bruta, mas sem levar em consideração os custos. É um bom indicador para revelar produtos mais promissores ou já em decadência no mercado.

Lucratividade

É importante medir a lucratividade de cada produto da sua empresa e a diferença entre o custo e o preço de venda, para fazer possíveis ajustes e tomar decisões mais embasadas neste âmbito.

Marketing

Os indicadores de marketing ajudam você a entender qual é seu posicionamento no mercado e se suas estratégias de negócio estão adequadas às tendências atuais.

Produtividade

Com este indicador, a produtividade de cada setor e cada colaborador da sua empresa pode ser analisada. Horas trabalhadas, metas e objetivos alcançados são boas referências nesta análise.

Qualidade

A qualidade oferecida pela sua empresa se traduz na satisfação dos seus clientes. Ao analisar os indicadores de qualidade, é possível detectar possíveis falhas a corrigir e pontos positivos a explorar para aumentar a captação e retenção de clientes.

Rentabilidade

Este indicador identifica o percentual de lucro da empresa em relação aos investimentos realizados. A partir dele é possível detectar quais investimentos geram mais lucros ou devem ser priorizados no futuro.

Turnover

Indicador ligado à rotatividade de colaboradores em sua empresa, ou seja, o número de quantos colaboradores foram contratados em relação aos que deixaram ou foram desligados da empresa. 

Este índice pode revelar problemas ligados ao ambiente de trabalho e à sua cultura organizacional. Quanto mais tempo os seus colaboradores permanecerem com você, melhor para os seus resultados.

Relação de vendas por oportunidades

Com este indicador é possível saber onde estão os gargalos do seu fluxo de vendas e quais os motivos que levam seus clientes a efetivar ou desistir de uma compra, assim como a análise de novas estratégias de vendas. 

Uma análise meticulosa destes indicadores de gestão leva a mais vendas e melhores resultados para sua empresa, para evitar que precise aumentar os investimentos somente com estratégias de oportunidades.

Recursos Humanos

Com estes indicadores é possível avaliar a satisfação do colaborador em trabalhar na sua empresa, medir os elementos de trabalho dos colaboradores e realizar uma melhor gestão do seu employer branding. 

Veremos mais detalhes dos indicadores de gestão ligados ao RH mais ao final deste artigo para você aprender como gerenciar indicadores de gestão em sua empresa.

Escolha os melhores indicadores de rendimento

Para isso, podemos dividir os indicadores de gestão duas categorias: indicadores de estratégia e indicadores de processos.

Indicadores de estratégia

Estes indicadores envolvem todos os fatores que influenciam diretamente a capacidade da empresa em se manter lucrativa. Eles medem seus objetivos de médio e longo prazo e são utilizados para a tomada de decisões mais gerais.

Indicadores de processos

Já os indicadores de processos são mais específicos e estão ligados à rotina diária das tarefas, dos objetivos e finalidades dos processos de sua empresa. 

Eles revelam se todos os procedimentos estão sendo seguidos corretamente e se os resultados esperados estão sendo alcançados. Assim, é importante considerar o perfil da sua empresa para escolher os melhores indicadores de rendimento.

Conhecendo as duas categorias básicas de indicadores, é hora de saber quais são os indicadores de gestão mais indicados para cada segmento do perfil da sua corporação.

Principais indicadores de gestão para cada segmento

Descubra quais indicadores de gestão se encaixam no perfil de sua empresa!

Cada segmento de atuação exige uma gama diferente de indicadores de desempenho para uma gestão eficiente dos processos da sua empresa. Assim como todos devem ser escolhidos segundo o perfil da empresa.

A seguir, veja quais indicadores de gestão são essenciais para cada macro-segmento de mercado: serviços, varejo e indústria.

Serviços

  • Custos de produção – despesas provenientes de serviços prestados, custo dos insumos, horas-máquina e horas-homem, suprimentos, depreciação natural dos equipamentos etc.;
  • Qualidade – permite quantificar o tempo gasto em retrabalhos e em atendimentos decorrentes de falhas no serviço;
  • Turnover – número de demissões em relação à quantidade total de colaboradores, tempo médio de permanência dos funcionários etc.;
  • Horas produtivas – quantidade de horas-homem efetivamente trabalhadas, com desconto de atrasos, faltas e períodos ociosos;
  • Satisfação dos clientes – pesquisas constantes de satisfação dos clientes no pós-venda;
  • Tempo de atendimento a solicitações – tempo necessário para o atendimento de uma solicitação qualquer.

Varejo

  • Ciclo operacional financeiro – indica a liquidez de um comércio varejista, o número de dias entre pagar por um produto, recebê-lo, estocá-lo, vendê-lo e receber por sua venda;
  • Custo das mercadorias – custos com a compra de itens, estocagem, transporte e manutenção;
  • Giro de estoque – período de tempo em que os produtos recebidos ficam no estoque antes da venda;
  • Logística – custos com transporte, frete e combustível, além de prazos de entregas e eventuais atrasos;
  • Margem de contribuição – valor pelo qual o produto precisa ser vendido para a receita superar o custo, além do percentual de lucro de cada mercadoria;
  • Produtos com shelf life crítico – produtos perecíveis que precisam de um giro de vendas rápido, uma vez que têm prazo de validade curto;
  • Qualidade de fornecedores – prazos de entrega, qualidade dos materiais entregues e percentual de atendimento dos pedidos e devoluções.

Indústria

  • Ciclo operacional financeiro – mostra a capacidade em gerar retorno sobre os investimentos e de manter a liquidez da empresa. É calculado pelo tempo médio de produção, estocagem, venda e recebimento;
  • Custo total de produção – apresenta o custo de insumos, horas-máquina, horas-homem, suprimentos e da depreciação dos equipamentos aplicados por período, centro de trabalho, linha de produção, produto e por turno, compondo o custo total de produção.
  • Logística – despesas com frete, gasolina, manutenção de frota ou contratação terceirizada, além do tempo médio das entregas, o número de desvios e atrasos;
  • Manutenção de equipamentos – tempo médio em que um equipamento fica parado para consertos ou manutenções preventivas;
  • Margem de contribuição e percentual de lucro – quanto um produto rende para a indústria depois de ser vendido, descontando custos e despesas de produção;
  • Qualidade – relação entre a quantidade de itens produzidos e itens com defeito;
  • Quantidade de horas produtivas – horas efetivamente utilizadas na atividade-fim do trabalhador, subtraindo-se qualquer tipo de pausa;
  • Uso da capacidade instalada – relação entre aquilo que a indústria efetivamente produz e o que poderia produzir se todos os seus equipamentos estivessem operando na capacidade máxima.

Até aqui você viu o que são indicadores de desempenho e como você pode utilizá-los para aproveitar ao máximo o potencial da sua empresa. Veja a seguir os indicadores específicos para você implantar na sua área de Recursos Humanos.

Indicadores de desempenho para o RH da sua empresa

O setor de Recursos Humanos é responsável pelos indicadores de gestão de sua empresa.

Utilizados para medir a eficiência das atividades ou processos específicos do setor de Recursos Humanos, os indicadores de gestão desta área precisam ser:

  • Concretos – objetivos tangíveis e baseados em metas;
  • Mensuráveis – dados e números para facilitar a compreensão;
  • Alcançáveis – metas e objetivos realistas;
  • Relevantes – alto grau de importância para os resultados da empresa.

Principais indicadores de gestão para o RH da sua companhia

Absenteísmo:

Uma taxa de 1% a 2% de faltas é considerada aceitável, acima disso é preciso ter atenção;

Efetividade dos treinamentos:

O treinamento efetivo é aquele que ajuda o aluno a se tornar um profissional melhor, aumentando seu nível de desempenho;

Horas extras:

Um índice muito alto é sinal de que está faltando gente na equipe;

Produtividade por colaborador:

Pode ser utilizado para decidir quais colaboradores receberão bonificações, recompensas e promoções;

ROI (return on investment) de treinamento e recrutamento:

Usado para medir a produtividade do funcionário em relação aos recursos investidos para desenvolvê-lo ou contratá-lo;

Tempo médio de recrutamento:

Importante para avaliar a eficiência dos processos seletivos e a capacidade de encontrar candidatos adequados rapidamente;

Turnover:

Um alto índice de rotatividade de seus colaboradores significa que a retenção de talentos não vai bem;

Turnover por equipe:

Pode ser uma ótima forma de analisar o desempenho dos gestores da empresa.

Agora que você conhece um pouco mais sobre este assunto, já pode começar a implementar a gestão de indicadores de desempenho na sua organização!

E para você proporcionar ainda mais qualidade de vida a seus colaboradores, o iFood está promovendo uma verdadeira revolução nos benefícios corporativos com o iFood Refeição, o vale-refeição do iFood. Conheça e leve a experiência iFood para a sua empresa!

Gostou do artigo? Entendeu todos os detalhes sobre indicadores de gestão? Aproveite e confira mais dicas estratégicas para explorar todo o potencial da sua empresa no blog do iFood Empresas!

Gostou? Compartilhe!

Por: Fernanda Capella

Coordenadora de Marketing de Conteúdo, copywriter, especialista em conteúdo de performance e comunicação. Amante de tecnologia, negócios, café e gastronomia.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.