O feedforward é um conceito usado no meio empresarial para aprimoramento de perfis profissionais e, consequentemente, de processos e resultados. Ele foca em comportamentos futuros, ao invés de passados, como é o caso com o feedback.

Esse método de desenvolvimento profissional permite uma troca ampla entre funcionários e gestores. Assim, aumentam-se as chances de uma equipe motivada, satisfeita e produtiva. Na outra ponta dessa relação está o crescimento da própria empresa.

Como qualquer técnica, é preciso saber como aplicar o feedforward da melhor maneira. Que tal aprender agora mesmo a usar essa nova metodologia no seu ambiente de trabalho? Continue a leitura!

O que é feedforward?

Descubra o que é feedforward e sua importância para o crescimento de uma empresa.

Feedforward é um método de gestão de pessoas que faz um contraponto ao feedback, trazendo melhorias através do olhar para o futuro.

No mercado de trabalho, isso significa prevenção de erros e falhas. No âmbito humano, ganha-se também o sentido de melhoria pessoal, uma vez que a proposta é avaliar cenários e entender o que seria ou não aceitável em cada situação.

A procura por “feedforward significado” nos mecanismos de busca está se tornando cada vez mais extensa, conforme mais pessoas percebem o impacto que essa ferramenta pode ter na organização. A resposta é simples, mas a aplicação vai muito além.

Há, também, o termo “controle feedforward”, que se trata de uma explicação mais científica para como funciona o processo. Aqui você pode checar exemplos visuais, mas o ponto principal é que as variáveis se encontram antes do processo em questão. 

Como aplicar o feedforward?

Acompanhe as melhores dicas para realizar um feedforward de qualidade.

Esta é uma ferramenta de comunicação. Por isso, sua aplicação está inteiramente vinculada ao modo como colaboradores e gestores se relacionam.

O método começa e termina com perguntas. As duas partes, principalmente a que receberá o feedforward, deve estar aberta para receber sugestões e interpretá-las de modo a inseri-las em sua vida. 

Do outro lado, a pessoa que dá o feedforward deve ter em mente as limitações do que está sendo abordado. A ideia é a melhoria, o que deve partir de uma base já existente e mirar em um objetivo realista.

Portanto, o primeiro passo é entender qual é esse objetivo:

Dicas para realizar um bom feedforward

1. Foque no futuro

Imagine uma situação hipotética: um colaborador de um restaurante poderia ser mais solícito com os clientes. Para isso, ele e seus gestores conversam sobre o que pode ser feito para que a relação com o público seja melhor. Eles debatem como as coisas estão atualmente e encontram brechas de comportamentos que podem ser alterados.

Veja que a conversa já iniciou com um olhar adiante. Os gestores não afirmaram que o modo como o colaborador trabalhou estava inadequado, nem falou os erros que ele cometeu anteriormente. Ao invés disso, a troca foi de ideias para os próximos passos.

2. Faça perguntas reflexivas

Com uma meta em mente, você deve elaborar perguntas que façam com que a conversa se desenrole e o profissional trace rotas próprias. Chegar a um consenso depende dos dois e quem mais precisa entender é ele.

Confira algumas questões que podem ser levantadas dentro do nosso exemplo:

  • Como você sente que está sua relação com os consumidores?
  • Você sente necessidade ou vontade de aprimorá-la?
  • Se trabalharmos para essa melhoria, como você acha que seria seu futuro na empresa? E na sua carreira?
  • Como você poderia iniciar um processo de mudança?

3. Mostre o caminho

Quem dá o feedforward tem mais um trabalho: o de sugerir.

Todo gestor tem o papel de orientar a equipe e aqui não é diferente. Com o bate-papo tomando forma, não será tão difícil pensar em soluções e pequenos ajustes, principalmente se o funcionário estiver engajado. 

Ele pode, inclusive, dar ótimas sugestões. Mas a pessoa primariamente responsável por isso é você. A conversa não pode terminar sem algumas dicas e orientações, ou terá sido improdutiva.

Outras boas dicas para um feedforward produtivo são:

  • Demonstrar apoio durante a jornada do profissional;
  • Pensar em como será feito o monitoramento dele dali para frente;
  • Deixar claro que você acredita e confia no potencial dele para alcançar o objetivo.

Quais as principais características do feedforward?

Cada característica traz um aspecto essencial da técnica. As principais características do feedforward são:

  • Diálogo;
  • Autoavaliação;
  • Autoconhecimento;
  • Plano de ação;
  • Incentivo;

O conjunto dessas práticas e habilidades forma o princípio da metodologia. É importante ressaltar que o próprio colaborador tem grande responsabilidade no processo, visto que ele é o agente fundamental que deve analisar e compreender as possíveis melhorias em seu comportamento.

O que a gestão pode fazer é tornar esse procedimento mais fácil, guiando o profissional. As perguntas que citamos acima tem como principal objetivo fazer com que o interlocutor tenha ideias por si mesmo. Esse processo de orientação pode, ainda, estreitar bastante os laços. Veja mais sobre eles:

Diálogo 

O diálogo permite que colaborador e gestor descubram pontos de melhoria juntos.

Autoavaliação 

A autoavaliação faz com que o funcionário entenda quais são seus pontos fortes e fracos naturalmente.

Autoconhecimento 

O autoconhecimento o torna capaz de reconhecer seus objetivos e limites.

Plano de ação

O plano de ação traça uma rota para atingir as metas.

Incentivo 

O incentivo é a carta final do gestor para motivar a mudança.

Feedback ou feedforward: qual escolher?

O feedback trata do passado e o feedforward do futuro.

Apesar do antagonismo nos significados, o feedback e feedforward não são mutuamente excludentes. Na verdade, o ideal é que os dois sejam utilizados regularmente na empresa.

A grande diferença entre eles é a abordagem. Alguns assuntos podem ser direcionados a partir de qualquer um dos métodos, enquanto outros só fazem sentido com um ou outro. 

Cada situação demanda uma análise. Pode parecer trabalhoso, mas vale a pena, e eventualmente, se torna natural.

Por exemplo, se um colaborador faz uma apresentação com algumas falhas de layout, há duas formas de conversar com ele sobre isso. Com o feedback, o líder apontaria os erros na apresentação. 

Com o feedforward, ele poderia sugerir melhorias — lembrando que sugestão é a palavra-chave! — com base na apresentação, mas sem necessariamente indicá-la como um erro. Só é preciso tomar cuidado para que essa abordagem não pareça um feedback disfarçado.

Em outros casos, a escolha mais acertada depende das variáveis. Se alguém comete uma falha pontual, o feedback será essencial para explicar o que aconteceu. Por outro lado, se há o desejo de mudança comportamental, sem que exista um ponto específico de atenção, o feedforward oferecerá o brainstorm necessário.

Com o tempo, as duas técnicas se acertam no cotidiano empresarial. Uma é utilizada recorrentemente para desenhar planos e aprimoramentos, e a outra surge quando é necessário uma intervenção específica em algum contexto.

Não se esqueça que o feedback e feedforward podem ser usados negativa e positivamente. Eles não existem apenas para corrigir falhas, mas também para demonstrar reconhecimento. 

Mesmo quando você sugere algo para o futuro, pode estar fazendo isso em aproveitamento de uma característica positiva do colaborador. Veja essa conversa fictícia, por exemplo:

— Ei, eu vi que você foi muito bem nas últimas apresentações. Já pensou em fazer um curso de oratória para arrasar ainda mais?

— Essa é uma ótima ideia!

Qual a importância do feedforward para uma empresa?

A objetividade e o tom são os aspectos mais importantes do feedforward para criar uma cultura amigável na empresa. Toda a equipe tem muito a ganhar a partir dessas práticas.

Por mais importante que o feedback seja, ele traz consigo um posicionamento defensivo do colaborador quase que automaticamente. Se não for feito com bastante cuidado, pode dar a impressão errada e parecer um ataque pessoal. Nem precisamos dizer quantos conflitos poderiam ser evitados, não é?

No feedforward, o próprio conceito permite uma aproximação mais suave, sem que surjam acusações escondidas nas palavras. 

Além disso, o gestor apenas orienta, restando ao colaborador encontrar o melhor trajeto para seu aprimoramento pessoal. Como é algo de seu interesse, é bem mais provável que ele compreenda o que foi levantado e se esforce para melhorar.

Além das relações na equipe, o feedforward tem o poder de ajudar no desempenho. Conforme os processos são aperfeiçoados e os profissionais se sentem mais motivados, a roda da produtividade passa a girar mais rápido naturalmente. 

Os erros não são mais apontados apenas quando acontecem, mas conseguem ser prevenidos e, muitas vezes, evitados. O que faz maravilhas pela empresa, seja aumentando a agilidade, seja reduzindo custos.

Como motivar seu colaborador após um feedforward?

iFood Card: a revolução no âmbito de motivação empresarial.

Uma das características que mencionamos sobre o feedforward é o estímulo. Motivar o trabalhador depois de guiá-lo para uma rota de melhorias é fundamental! 

Ele sentirá que a conversa foi realmente sobre ele, não apenas sobre a companhia ou um feedback disfarçado. Ele se sentirá valorizado o suficiente para usar seus aprimoramentos na empresa, a longo prazo.

Quer uma ideia de algo motivacional e perfeito para o momento pós-feedforward? Conheça o iFood Card, o cartão presente da iFood.

Um presente em forma de comida. Quem não gosta disso? O melhor é que quem escolhe a comida é o presenteado, garantindo que será algo que ele com certeza vai gostar. Você só precisa definir o valor do saldo que será disponibilizado e enviar o cartão para o colaborador, de forma digital.

O iFood Card faz todo o sentido com motivação para o funcionário. Não só é um sinal de reconhecimento, mas de confiança que os pontos debatidos serão trabalhados. Ou seja, a pessoa sai da reunião com grandes ideias para o futuro e ainda recebe um mimo para comprovar que as ideias são boas mesmo!

É importante reforçar o feedforward como um comportamento positivo, para que se torne recorrente. Assim, a equipe trabalhará em um constante ritmo de crescimento, estimulada por uma gestão que faz tudo ao seu alcance para apoiar a carreira de cada um. O futuro da empresa se torna tão brilhante quanto o de seus colaboradores.

Ficou interessado no iFood Card e quer entender melhor como funciona?

Gostou? Compartilhe!

Por: Marilizi Gonçalves

Analista de Marketing de Conteúdo, copywriter, especialista em redação. Formação em Letras, cinéfila, apaixonada por ciências humanas, língua inglesa, marketing e fã de um bom cupom de desconto.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.