Por muito tempo, o empreendedorismo feminino foi sinônimo de luta pela consolidação das mulheres no mercado. Embora os cases de sucesso nos negócios tenham sido notáveis, o número de mulheres empreendedoras ainda era pequeno, tanto por uma questão cultural quanto pela falta de oportunidades.

No cenário atual, a situação já está diferente e caminhando para uma evolução maior. De acordo com um estudo da Unidade de Gestão Estratégica do Sebrae Nacional, o Brasil conta com cerca de 24 milhões de mulheres empreendedoras e com empresas ativas

O número, por sua vez, representou 34% de todos os novos negócios criados no Brasil no ano de 2018. No entanto, é evidente que ainda há muito o que mudar e crescer nesse cenário. 

Com situações machistas e misóginas acontecendo diariamente dentro das companhias, a busca por igualdade ainda é uma luta constante e real para a mulher de negócios dentro do universo corporativo.

Por conta disso, neste artigo você encontrará um panorama completo sobre o empreendedorismo feminino no Brasil, bem como as vantagens de estimular a presença das mulheres dentro do mercado, seja nas pequenas, médias ou grandes empresas. 

Acompanhe e saiba tudo sobre o tema. Boa leitura!

O que é empreendedorismo feminino?

Saiba como esse conceito está envolvido com a luta feminina na história.

Na teoria, podemos definir o empreendedorismo feminino como o ato de mulheres líderes abrirem e gerirem os seus próprios negócios. No entanto, na prática, essa ação vai muito além e representa a quebra de diversos paradigmas e barreiras sociais e culturais.

Em um cenário no qual a legalidade do trabalho feminino foi conquistada apenas por volta de 1907, por meio de greves relacionadas aos movimentos sindicalistas, é evidente que o papel feminino dentro das empresas sempre foi menosprezado e visto como secundário. 

Mesmo sendo maioria dentro das fábricas desde a primeira revolução industrial, as mulheres sempre tiveram dificuldade em obter bons cargos, bem como em serem respeitadas em postos mais altos. 

Nesse sentido, o empreendedorismo feminino se mostra não apenas como uma revolução no mercado, mas também um símbolo do empoderamento das mulheres no século XXI. 

Por esse motivo, é essencial que ele permaneça crescendo e receba o apoio de todo tipo de entidade, de modo que continue a ajudar na construção de uma sociedade mais justa e igualitária, com menos machismo e mais oportunidades para mulheres.

Panorama geral sobre o empreendedorismo feminino no Brasil

Segundo a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), em uma pesquisa divulgada pelo IBGE, atualmente, o Brasil possui 105 milhões de mulheres. O número representa cerca de 51,6% da população total a nível nacional, com uma margem de 6,353 milhões a mais de mulheres do que homens em nosso país.

Nesse cenário, era de se esperar que a presença feminina nas empresas fosse equivalente à diferença populacional. No entanto, a situação real é bem diferente. 

Mesmo com um crescimento dos cargos de chefia ocupados por mulheres, o gênero ainda é minoria no mundo corporativo, com cerca de 41% de presença, e ainda recebe salários menores que o dos homens, segundo o IBGE.

Por esse motivo, o empreendedorismo feminino tem se tornado uma pauta tão importante e debatida dentro e fora do mercado de trabalho. Afinal, ele representa uma chance para as mulheres que desejam se inserir no mundo corporativo, mas nunca tiveram as oportunidades necessárias. 

Razões para o crescimento do empreendedorismo feminino

As mulheres líderes têm crescido no mercado: saiba o motivo.

As mulheres empreendedoras não estão surgindo apenas pela vontade de crescimento de carreira. De acordo com o Sebrae, o principal motivo que leva o público feminino a criar seu próprio negócio é a necessidade de uma nova fonte de renda. 

Isso porque vários dos empreendimentos ativos são de mulheres casadas que cuidam do lar, mas desejam ter a sua independência financeira. 

Esse ato, por sua vez, é saudável tanto para a economia quanto para a saúde mental das mulheres, que são comumente afetadas pela pressão de realizar a chefia das famílias e cuidar de todos os trabalhos domésticos.

É nesse cenário que o empreendedorismo feminino no Brasil tem se tornado um tema tão necessário. Afinal, ele representa não apenas um maior poder financeiro sendo dado às mulheres, mas também o empoderamento feminino, símbolo da nova geração profissional. 

Vale ressaltar, ainda, que a presença da mulher de negócios, de maneira real e valorizada, é um potencial para as companhias que desejam se posicionar de forma positiva no mercado, auxiliando na consolidação das marcas. 

Sendo assim, torna-se evidente que o empreendedorismo feminino precisa ser estimulado, debatido e fortalecido. 

As vantagens da presença feminina nas empresas

Como citamos anteriormente, promover a presença das mulheres dentro das empresas é não apenas um benefício, mas uma obrigação das companhias que desejam ter um posicionamento frente a questões sociais, além de uma imagem moderna perante o público.

No entanto, não é apenas por isso que a procura pelo empreendedorismo feminino para a ocupação de cargos de liderança tem crescido. 

A presença de mulheres empreendedoras acarreta em diversas vantagens para as organizações, tanto em relação a produtividade operacional quanto em uma visão geral no mercado. 

Acompanhe alguns dos benefícios que a contratação feminina pode gerar para as companhias:

  • Posicionamento de mercado, excelente para atrair novos consumidores e ter clientes engajados socialmente; 
  • Endomarketing forte, criando um clima organizacional mais favorável e positivo; 
  • Estímulo no apoio às diferenças, o que proporciona a criação de equipes mais engajadas e produtivas; 
  • Melhor visão perante a concorrência, ideal para a formação de parcerias com outras empresas do ramo; 
  • Posicionamento regional, com crescimento do nome da marca a nível municipal e estadual.

Práticas da inclusão feminina nas empresas

Saiba algumas práticas essenciais para a inclusão das mulheres em uma empresa.

Segundo pesquisa realizada em parceria entre o LinkedIn e a consultoria Bain & Company, 82% das mulheres e 66% dos homens concordam que a igualdade de gênero dentro das empresas deve ser uma prioridade

No entanto, na prática, apenas 38% das mulheres que participaram das entrevistas enxergam oportunidades reais de crescimento dentro de suas organizações. 

Esse é um dos principais motivos que fazem as mulheres empreendedoras serem parte de um cenário tão importante no nosso país. 

Mesmo que grande parte dos gestores, líderes e diretores já concordem sobre a importância de contratar mulheres, na prática, a situação ainda se mostra pouco positiva e raras são as oportunidades concedidas para as mulheres liderarem grandes corporações.

Nesse cenário, separamos algumas práticas recomendadas para as companhias que desejam promover e valorizar o empreendedorismo feminino de forma ativa e real. 

1. Inclusão a partir da liderança 

Segundo um artigo publicado na Época, grande parte das mulheres ainda se sentem pouco ouvidas dentro das companhias. Por esse motivo, elas utilizam de diferentes artifícios para mostrar seus posicionamentos, o que gera cansaço excessivo, além de afetar a saúde mental. 

A partir do momento que mulheres começam a integrar o quadro de gestão, ganham a oportunidade de também dar voz a aquelas que estão em outros cargos.

Assim, cria-se uma cadeia de bem-estar, no qual a inclusão se torna cada vez maior, o clima organizacional mais positivo e o posicionamento da empresa mais bem visto no mercado. 

2. Promover a informação em todos os níveis 

De acordo com pesquisa realizada pela Catho, no Brasil, a diferença salarial entre homens e mulheres é de quase 53%. 

Essa é apenas uma das muitas situações machistas que se repetem todos os dias dentro das companhias e que, muitas vezes, fazem com que as mulheres empreendedoras se sintam obrigadas a deixar os seus empregos e a criar o próprio negócio. 

Por esse motivo, muito além de empregar mulheres, é necessário que as organizações criem ambientes confortáveis para a força de trabalho feminina de suas empresas. Para isso, a informação é a arma mais útil e poderosa.

Sendo assim, treinamentos, workshops e palestras são importantes não só para a construção de um local adequado para o desenvolvimento profissional das mulheres, como também uma maneira de conscientizar os colaboradores homens sobre igualdade e valorização da mulher.

3. Criar uma rede de apoio 

Mesmo com toda informação, é previsível que situações nada desejáveis continuem acontecendo dentro das companhias. Afinal, na conjuntura de uma sociedade predominantemente machista, a misoginia estrutural pode se fazer presente em todo tipo de situação.

Por esse motivo, criar uma rede de apoio feminino nas companhias é uma ótima maneira de garantir a segurança das mulheres líderes que fazem parte da força de trabalho da empresa. 

Com base em princípios como sororidade e empatia, torna-se possível promover práticas que garantam um dia a dia mais inclusivo e respeitoso, criando um ambiente onde as profissionais possam se desenvolver e criar uma carreira da maneira que almejam.

Os desafios do empreendedorismo feminino no Brasil

Como você pôde perceber, as mulheres já são um público real e atuante no mercado brasileiro. Elas crescem a cada dia mais e nas mais variadas áreas, trazendo para a economia um novo vigor e oportunidades.

No entanto, isso não significa que os desafios para o crescimento do empreendedorismo feminino são pequenos, muito pelo contrário. 

As barreiras são diversas, tanto em relação a questões práticas, como a falta de investimento, quanto em questões mais gerais, como o preconceito real e massivo da sociedade com relação a empresas de mulheres.

Nesse sentido, os principais desafios do empreendedorismo estão concentrados na falta de engajamento e apoio, principalmente por parte de outras empresas já consolidadas do mercado. 

A ausência de apoio de quem já possui nome e capital tem um grande peso, fazendo com que, muitas vezes, as novas empresas não consigam espaço suficiente para se desenvolver. 

Por esse motivo, promover o empreendedorismo feminino está diretamente ligado a criação de uma rede de empoderamento, na qual as mulheres líderes e empreendedoras recebam apoio de outras instituições para crescerem dentro do mercado.  

Com isso, todo o caminho das novas empresas se torna mais simples, bem como as oportunidades chegam de maneira mais justa e igualitária para uma mulher de negócios. 

E então, o que acha sobre o papel da mulher nas empresas? Deixe sua opinião aqui nos comentários! 

E para continuar sempre por dentro dos melhores conteúdos do mundo corporativo, continue acompanhado o nosso blog! Aqui, sempre postamos materiais completos para te ajudar a construir uma carreira de muito sucesso!

Gostou? Compartilhe!

Por: Marilizi Gonçalves

Analista de Marketing de Conteúdo, copywriter, especialista em redação. Formação em Letras, cinéfila, apaixonada por ciências humanas, língua inglesa, marketing e fã de um bom cupom de desconto.

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.