O termo compliance vem do verbo “to comply” e significa “agir de acordo com uma regra, uma instrução, lei interna, um comando ou um pedido”. Nesse sentido, o setor de compliance empresarial é o responsável por garantir que a empresa e seus colaboradores se mantenham dentro de uma conduta ética e legal.

Esta iniciativa é fundamental para garantir que a organização tenha credibilidade de mercado junto aos stakeholders. Mas, além disso, ela também colabora para o fortalecimento da marca, aumento da produtividade e redução de custos com possíveis multas e punições judiciais.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, continue a leitura! No blog de hoje, vamos esclarecer o que significa compliance empresarial na prática e como aplicar esta ferramenta no seu negócio.

Entenda o conceito do compliance empresarial

O termo compliance empresarial significa agir de acordo com as normas internas e externas de uma instituição. Ou seja, são ações adotadas para prevenir violações legais por parte de colaboradores, sócios ou demais pessoas que tenham relação com a empresa.

Dessa forma, dizer que uma empresa está em compliance empresarial é o mesmo que dizer que ela está seguindo as leis previstas para a sua atuação.

As primeiras noções de compliance nasceram como uma ferramenta anticorrupção nos Estados Unidos a partir do século XX. No Brasil, a ferramenta foi instituída legalmente em 2013 com a edição da Lei nº 12.846/13. Também é conhecida como Lei Anticorrupção.

No geral, a Lei prevê a responsabilização, no âmbito civil e administrativo, de empresas que pratiquem atos lesivos contra a administração pública. Isto de forma objetiva, ou seja, sem a necessidade de comprovação para haver a punição. Basta que seja caracterizado o nexo causal da infração.

No contexto atual, o compliance empresarial enfrenta ainda novos desafios causados pela pandemia da Covid-19. Isto porque se os códigos e políticas internas estavam bem definidos antes deste momento; agora, precisam passar por uma série de mudanças para atender a nova realidade da empresa e dos colaboradores durante o home office.

Tanto no que diz respeito ao aspecto cultural da organização, quanto à própria confidencialidade de informações internas em um ambiente fora da empresa. Por isso, foi necessário investir em ações rápidas de compliance para alinhar as condutas neste novo cenário.

Qual o papel da área de compliance em uma empresa?

Não é segredo que a cultura organizacional tem influência sobre o comportamento dos colaboradores. Dessa forma, uma cultura pautada em valores éticos também pode influenciar a integridade dos profissionais.

Por isso, o setor de compliance empresarial é responsável por todas as etapas que envolvem este processo. Desde a avaliação sobre os riscos aos quais a empresa está submetida até a construção de uma cultura de compliance

Nesse contexto, todos os os colaboradores, gestores e parceiros da empresa deverão integrar esta cultura e estarem cientes e envolvidos na importância do compliance empresarial.

Além disso, também é responsabilidade deste setor desenvolver um código de conduta ética que irá nortear o comportamento das pessoas que têm relação com a empresa, a condução de treinamentos e a criação e gestão de um canal aberto para denúncias.

Importância do compliance nas empresas

Uma empresa que investe em um programa de compliance garante diversos benefícios para seu desenvolvimento e posicionamento de mercado. 

Confira alguns dos principais e o impacto que podem trazer para o seu negócio:

Integridade Civil e Criminal

A principal vantagem do compliance empresarial é a garantia da integridade civil e criminal tanto da organização em si, quanto da alta administração.

Isto porque, com uma cultura de compliance bem definida com o quadro de colaboradores, dificilmente, haverão comportamentos irregulares ou ilegais.

Dessa forma, é possível reduzir o risco de responsabilização dos gestores. E, principalmente, evitar uma exposição negativa e desnecessária da empresa no mercado e a público.

Vantagem competitiva

O compliance também tem influência direta na sustentabilidade empresarial da organização no novo mercado. Cada vez mais, os consumidores têm exigido posturas e comportamentos éticos por parte das empresas.

Por esse motivo, empresas que trabalham uma cultura de compliance, têm uma grande vantagem competitiva em relação àquelas que não têm uma estratégia bem definida neste sentido.

Além disso, o compliance empresarial também é responsável por garantir que a organização tenha uma boa imagem no mercado. O que impacta diretamente na retenção de talentos e na atração de profissionais mais capacitados.

Maior produtividade

Como vimos, a cultura de uma empresa reflete no comportamento de seus colaboradores. Nesse sentido, organizações que adotam o compliance, geralmente, são ambientes menos estressantes e mais saudáveis. O que gera um grande impacto na produtividade da equipe.

Isto porque, um profissional que trabalha em uma empresa correta e que cumpre com suas obrigações, se sente mais satisfeito e engajado com seu desenvolvimento profissional neste local de trabalho.

Somado a isto, a segurança em não precisar se preocupar com atrasos de salário ou problemas relativos a condutas inadequadas de colegas e superiores também oferece mais embasamento para que os profissionais tenham mais motivação e sejam mais produtivos no desempenho de suas funções.

Como implementar?

O primeiro passo para implementar um programa de compliance empresarial é fazer uma análise do contexto da organização e entender os riscos aos quais ela está submetida em seu nicho de atuação.

Em seguida, é fundamental estabelecer políticas e procedimentos internos. Assim, é possível orientar as ações de colaboradores, gestores e terceiros e reduzir os riscos de ocorrência de condutas irregulares. Mesmo que de maneira inconsciente.

Neste sentido, é importante também realizar treinamentos com os colaboradores para que eles possam entender e assimilar este padrão. Afinal, todo o processo será ineficiente se não houver a colaboração de todos os envolvidos.

Também é necessário prestar atenção aos stakeholders externos da empresa. Como fornecedores e parceiros. Estas pessoas também precisam estar familiarizadas e alinhadas ao código de compliance adotado. Afinal, qualquer deslize cometido pode ter um impacto negativo direto para a organização.

Por isso, é essencial realizar um processo de due diligence dos fornecedores. Ou seja, uma auditoria de seus aspectos financeiros, trabalhistas e jurídicos, por exemplo. Para garantir que esta pessoa também trabalhe em regime de compliance.

Finalizados estes processos, a empresa já tem a base para implantar esta iniciativa. Mas, para que esta estratégia seja completa, é preciso criar um canal de denúncias sobre comportamentos contrários aos princípios estabelecidos.

Agora, basta implementar oficialmente o programa de compliance. E, principalmente, manter o acompanhamento constante de possíveis inconsistências para que tudo seja resolvido de forma imediata.

Além do compliance empresarial, outra maneira de promover uma boa reputação para a empresa e garantir a produtividade dos colaboradores é investir em benefícios corporativos.

Ficou interessado no assunto? Então, clique aqui para conhecer o iFood Benefícios, o vale alimentação e o vale refeição do iFood, um dos maiores — e mais queridos — benefícios flexíveis do mercado.

Gostou? Compartilhe!

Por: stephaniesantanna

Deixe seu comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.